Recreio

Copa do Mundo: Confira curiosidades sobre maior evento de futebol

Antes da Copa do Mundo no Catar, confira alguns fatos curiosos que já aconteceram em Copas anteriores

Julia Moióli Publicado em 09/05/2022, às 16h53

Torcedor em um jogo do Brasil - Pixabay
Torcedor em um jogo do Brasil - Pixabay

A Copa do Mundo de 2022 acontecerá no Catar, com início marcado para o dia 21 de novembro. O Brasil irá iniciar a sua busca pelo hexacampeonato em 24 de novembro, onde irá jogar contra a equipe da Sérvia no Lusail Stadium, que possui capacidade para aproximadamente 80 mil pessoas.

Antes de acompanhar o maior evento de futebol do mundo, confira algumas curiosidades que já aconteceram em outras Copas do Mundo!

1. Pegando no pé

Antigamente, as chuteiras pareciam botas pesadas e duras. Em um jogo contra a Polônia, durante a Copa de 1938, a chuteira do brasileiro Leônidas estourou. Enquanto faziam o conserto, ele marcou um golaço, descalço mesmo! Hoje, as chuteiras são leves e especiais. Existe até uma inteligente, que se ajusta sozinha à altura do gramado.

2. Príncipe em campo

Na Copa de 1982, a França vencia o Kuwait por 3 a 1 e marcou o quarto gol. Só que os jogadores do Kuwait disseram que ouviram um apito e acharam que a jogada estava paralisada. Na confusão, o príncipe do Kuwait entrou no gramado para brigar com o juiz e deu certo: a jogada foi anulada. Mas a França marcou outro gol em seguida.

3. Craque canino

O brasileiro Garrincha ficou famoso pelos seus dribles, que deixavam os adversários meio tontos. Mas, na Copa de 1962, quando ele tentou tirar do campo um cachorro que invadiu o gramado, tomou um baita drible do cão e precisou de ajuda.

4. Olho no relógio!

Em 1978, o Brasil e a Suécia empatavam em 1 a 1. No final do jogo, Zico fez mais um gol, mas o juiz apitou o fim da partida quando a bola estava no ar e a jogada não valeu! Esse juiz nunca mais participou de nenhuma Copa do Mundo.

5. Duras de encarar

Na primeira Copa, em 1930, as bolas eram duras e seus gomos eram costurados a mão, com linha grossa. A abertura do bico da bola tinha uma costura tão grossa que podia causar machucados, e vários jogadores usavam gorros para se proteger nas cabeçadas.

6. É pra cartão juiz!

Os cartões vermelho e amarelo foram criados depois da Copa de 1966, por causa de uma briga entre um juiz alemão e um jogador argentino, que não conseguiam se entender. Aí surgiram os cartões de advertência, que dispensam o papo.

7. Festa de abertura

Antes de 1966, a Copa não tinha um jogo especial de abertura. A primeira partida festiva foi realizada naquele ano entre Inglaterra e Uruguai, e o resultado foi 0 a 0. De acordo com as regras atuais, o país anfitrião faz o jogo de abertura da Copa. Este ano, a partida será entre Catar e Equador em 21 de novembro, no Estádio Al-Bayt.

logo da copa do mundo no catar
Logo da Copa do Mundo 2022 no Catar / Crédito: Divulgação/FIFA

8. Turma animada

Em 1966, a Copa foi realizada na Inglaterra e pela primeira vez o torneio teve uma mascote. Ela se chamava Willie e era um simpático leão. Depois disso, já foram escolhidos como mascotes meninos, bonecos, um cachorro, um galo, criaturas do futuro, uma bola falante, uma laranja e até uma pimenta! A Copa de 2014 no Brasil contou com o simpático tatu-bola Fuleco, escolhido através de uma eleição popular onde concorreu com um tigre e um gato.

9. Música errada

Na Copa de 1986, no jogo contra a Espanha, o time do Brasil esperava pelo momento de ouvir o Hino Nacional Brasileiro, mas, quando a música começou, tocaram o Hino à Bandeira. Que mico!

10. Recordes das copas

  • Gol mais rápido: Da Turquia em 2002, contra a Coreia do Sul, aos 11 segundos de jogo.
  • Goleada: Hungria 10 x El Savador 1, em 1982.
  • Maior público: Foram 199.854 pessoas na final de 1950, no Maracanã. O Brasil perdeu para o Uruguai.
  • Cartões vermelhos: Na partida entre Portugal e Holanda, na Copa de 2006, quatro jogadores foram expulsos.
  • Mais vitórias: O recorde é da seleção do Brasil, que possui 73 vitórias em 109 partidas.
  • Maior número de gols: Até 2014, o recorde pertencia ao brasileiro Ronaldo, com 15 gols em Copas do Mundo. No entanto, ele perdeu o posto para o alemão Miroslav Klose, no fatídico jogo do 7x1, onde hoje soma 16 gols em Copas.