Recreio
Ciência / Ciência

Por que alguns objetos boiam e outros afundam?

Como um objeto grande pode boiar no oceano e outros, pequenos, afundam? Entenda!

Lucas Vasconcellos Publicado em 27/05/2020, às 10h00 - Atualizado às 19h06

Getty Images
Getty Images

Boa parte do segredo está na densidade! Você já deve ter feito essa experiência: tentar misturar água e óleo e, além de ver que é impossível, notar que o óleo sempre fica por cima da água. É a tal da densidade: conceito físico que mede a distribuição da massa pelo volume (altura, largura, comprimento) de um corpo.

Nesse caso, a água é mais densa do que o óleo. Você pode repetir o teste com outro material e ver o efeito contrário: basta jogar uma chave dentro de um copo de água – por ser mais densa do que o óleo (e do que a água), ela afunda.

Dentro da privada

Depois de fazer o número dois, ao olhar para a privada, você pode ver o cocô boiar ou afundar. Isso varia conforme a composição das fezes: para afundar, elas não podem estar muito gordurosas (fique de olho no que você come) ou com mais bolhas de ar do que o normal. Se seu cocô boia mais do que afunda, ligue o sinal de alerta! Isso pode ser um sinal de que você está optando por alimentos carregados de gordura, que causam diversos problemas de saúde.

Gigantes no mar

Eles são grandes e pesados (podem passar das 100 mil toneladas e dos 360 metros de comprimento), mas flutuam. Pode acreditar: apesar do tamanho, navios são menos densos do que a água onde estão boiando, ou seja, o mar. É que o volume de água no oceano é bem maior do que as medidas da embarcação.

Outro fator também entra nessa conta: em contato com a enorme quantidade de água do mar, navios deslocam parte desse líquido, que tenta ocupar o espaço de novo, gerando uma força chamada de empuxo – essa força é contrária à embarcação e ajuda na sustentação do navio.

O queridinho do verão!

Embora seja feito de água, o gelo não afunda na água. O segredo está no momento em que o líquido passa a ser sólido: nesse processo, a água ganha volume, ou seja, as moléculas se arranjam de um jeito diferente, criando um espaço maior entre elas. Com isso, o gelo fica menos denso do que a água líquida, permitindo que a pedra flutue.

Estirado na água

Gosta de ficar boiando quando vai à piscina? Seres humanos conseguem esse feito porque o espaço ocupado pelo corpo deitado afasta a água da piscina, que tenta reocupar o local onde estava antes. Isso também gera a força do empuxo, contrária a do nosso corpo.

Além disso, é preciso levar em conta a densidade: para que uma pessoa boie (seja menos densa do que a água), a piscina deve ter comprimento, largura e profundidade maior do que as medidas do ser humano em questão – caso contrário, o efeito será o mesmo de entrar em uma banheira.

Quer boiar? Vá ao Mar Morto!

Localizado no Oriente Médio, o Mar Morto é o lago mais salgado do mundo: tem cerca de 340 gramas de sal por litro de água – no oceano, a média é de 35 gramas de sal por litro de água. Isso impede qualquer pessoa de afundar, pois a água fica mais densa do que o corpo do ser humano.

Consultoria: Márcia Wehba (assessora médica em Gastroentorologia do Fleury Medicina e Saúde), Mariana Coppedê Cussioli (oceanógrafa), Raissa Morais (física pela Unesp) e Saulo de Assis Maia (engenheiro ambiental).

Fonte: A física nas embarcações (Agelisa Benetti Clabsch, Instituto de Física/UFRGS).