Recreio
Facebook RecreioTwitter RecreioInstagram Recreio
Zoo / Bichos

Por que alguns animais trocam de pele?

Cobras, caranguejos, aranhas e até seres humanos trocam de pele! Entenda esse processo

Lucas Vasconcellos Publicado em 08/06/2020, às 10h14 - Atualizado em 13/04/2022, às 18h54

Cena de 'A Guarda do Leão' - Divulgação/ Disney
Cena de 'A Guarda do Leão' - Divulgação/ Disney

Ecdise é o nome dado ao processo que conhecemos como troca de pele entre os animais artrópodes - bichos que possuem exoesqueleto, ou seja, um esqueleto externo (é o caso de aranhas, caranguejos e escorpiões, por exemplo). Como o esqueleto está do lado de fora do corpo, é preciso trocá-lo de tempos em tempos para que o animal cresça. Mas também existem répteis que trocam de pele, como as cobras. Nesse caso, o objetivo é renovar a pele antiga, que se desgasta.

Cobra

A pele desse animal cobre o corpo todo, incluindo os olhos (onde existe uma membrana transparente para proteção). Quando chega a época de trocar de pele, essa membrana se solta e os olhos ficam com aparência esbranquiçada. Então, a cobra começa a trocar a pele pelo focinho, esfregando-se em pedras e galhos. Diferentemente de outros animais, ela deixa a pele inteira para trás (e virada do avesso). Esse processo costuma se repetir uma vez por mês ao longo da vida do bicho – que pode chegar a décadas em cativeiro.

Caranguejo

Sr Caranguejo
Sr. Caranguejo em cena da animação 'Bob Esponja'. Crédito/ Divulgação/ Nickelodeon

No momento de trocar a casca, o caranguejo fica escondido em um buraco - ele quase não se move e acumula energia. Quando a casca se quebra, o bicho libera um líquido branco, formado por substâncias como hormônios e proteínas. É a partir desse líquido que se formará a nova casca (em cerca de 50 dias). Esse processo se repete até ele ficar adulto (entre 2 e 3 anos). Ao atingir o tamanho final, a troca de carapaça se torna desnecessária.

Aranha

O exoesqueleto dela é composto por quitina (substância também presente em nossas unhas). A troca funciona assim: o animal procura um lugar para se esconder, como tocas ou buracos, e permanece ali por entre 5 e 10 dias - sem comer, até o que o processo tenha fim. Quando a estrutura externa cai, uma nova nasce no lugar – a aranha precisa ficar escondida por até mais 10 dias, enquanto o exoesqueleto seca. Em geral, quando são adultas, as aranhas trocam de pele uma vez por ano (é um processo de renovação da pele desgastada).  

Gafanhoto

Quando esse bicho sai do ovo, já é parecido com a forma que terá quando adulto – só não tem asas, é de outra cor e possui aparelho reprodutor ainda não totalmente desenvolvido. Até chegar à fase adulta, ele troca de pele muitas vezes. Na última mudança, o gafanhoto se pendura em um galho, usando as pernas traseiras e de cabeça para baixo. Então, o conjunto total da pele rasga a parte de traz do corpo e surgem as asas. Pronto, ele é um gafanhoto adulto!

Escorpião Tityus

Os filhotes dessa espécie, moradora da América do Sul, nascem brancos e ficam nas costas da mãe até que aconteça a primeira troca de pele, entre 10 e 14 dias de vida. Depois, eles se tornam independentes. Mas, até se serem adultos (o que acontece por volta de 1 ano), trocam de pele mais seis vezes para que o corpo siga crescendo.

E o ser humano?

Embora você não perceba, a gente também troca de pele. Isso costuma acontecer uma vez por mês, quando células novas empurram as células mortas que estão na superfície da pele – estas se desfazem e as novas células ocupam o lugar!

Consultoria: Guilherme Domenichelli (biólogo e autor dos livros Girafa tem Torcicolo? e O Resgate da Tartaruga (Panda Books)).