Recreio
Pets / Filhotes

4 dicas necessárias para cuidar de um pet filhote

Para crescerem saudáveis, estes pequenos animais precisam de uma atenção dobrada. Saiba mais!

Letícia Yazbek Publicado em 08/07/2021, às 09h54 - Atualizado às 17h35

Filhotes de gato e cachorro - Pixabay
Filhotes de gato e cachorro - Pixabay

Filhotes costumam chorar muito, pois sentem medo, fome e solidão. Tente deixá-los num ambiente acolhedor, onde eles se sintam bem. Coloque a cama um pouco acima do nível do chão e longe de correntes de ar – ela deve ser quente e confortável, forrada com um cobertor. Os potes de alimento e água precisam estar limpos, próximos à caminha. Deixe folhas de jornal e caixas de areia sempre longe da cama e dos potes de alimentação.

Dieta especial

Nos primeiros dias, mantenha a mesma alimentação a que o filhote estava acostumado antes de ser separado da mãe ou do antigo criador. Entre os 2 e 6 meses, ele deve comer três ou quatro vezes ao dia. A partir do sexto mês, o ideal são duas refeições diárias. Dê ração especial para filhotes – a de pets adultos deve ser oferecida apenas quando o bicho completar 1 ano.

Vacina já!

Aos 30 dias de vida, o filhote deve passar por um exame, feito por um veterinário, que irá definir a dosagem do vermífugo (remédio que deixa o pet livre de vermes). A primeira dose da vacina deve ser dada entre 45 e 60 dias de vida e, as doses seguintes, sempre 30 dias depois. Garantindo esses cuidados, você protege o filhote de problemas como raiva, hepatite canina, vermes, parasitas e diferentes tipos de vírus.

Ajuda extra

Deixe sempre um objeto com o pet, como um brinquedo que faça barulho. Assim, ele vai se distrair e se sentir mais acolhido. Cuidado com os brinquedos que têm peças pequenas (elas podem ser engolidas). Quando sair de casa, vale deixar um objeto seu perto dele, como uma peça de roupa. O pet sentirá o cheiro e ficará mais tranquilo.

Sair ou não sair?

O ideal é levar o pet para passear na rua (e dar banho) apenas depois da vacinação, para evitar contaminações e infecções. Mas essa fase também é importante para socializar o filhote. Mesmo antes de tomar as vacinas, ele pode ter contato com outras pessoas e animais, sem sair de casa.

Consultoria: Guilherme Soares (médico veterinário) e Jonas Byk (biólogo especialista em comportamento animal).