Recreio
Pets / Saúde

Dicas para cuidar do seu pet no verão

Assim como nós, os animais de estimação sofrem com as altas temperaturas. Mas alguns cuidados podem garantir que eles fiquem bem

Lucas Vasconcellos Publicado em 01/01/2020, às 10h00

Cães e gatos têm duas dificuldades a mais, em relação aos humanos, para se adaptarem ao verão: eles não transpiram pelo corpo todo e, por serem menores, desidratam mais facilmente. Nos dias quentes, o melhor é sempre deixar o pote de água do pet cheio do líquido fresquinho (vale até colocar pedras de gelo). E não se esqueça de permitir que eles tenham acesso a áreas com sombra e boa ventilação.

De olho neles

O corpo dos pets também dá sinais de que eles estão com calor: boca aberta, língua para fora e respiração acelerada são alguns exemplos. Além disso, é comum que eles busquem posições em que a barriga fique em contato com o chão frio.

Chão pelando!

Passear e brincar com seu cachorro ao ar livre é bem legal! Mas pense bem: ele não usa sapatos e pode sofrer com a quentura do solo. Isso faz com que as patas fiquem avermelhadas e doloridas, levando o bicho mancar. O próprio animal pode demonstrar que não está contente: ele puxa a guia para forçar a volta, por exemplo. O indicado é sair com seu cão no início da manhã (até 9h) ou no começo da noite (depois das 18h).

Cadê a fome?

A alimentação do pet não precisa mudar quando os termômetros sobem muito, mas é comum que ele não tenha tanto apetite. Não precisa se preocupar.

Hora do banho

No verão, a rotina dos banhos continua a mesma. Só faça uma exceção se levar o pet à praia – aí, é preciso dar banho para retirar a areia e a água salgada do mar. Use sempre água fria, pois a água quente pode levar o bicho a ter hipertermia (aumento da temperatura do corpo sem que o animal consiga fazê-la voltar ao normal naturalmente).

Cabeleira

Cães muito peludos ficarão mais confortáveis no verão brasileiro se estiverem tosados. A frequência da tosa depende do tipo de pelo e do ambiente em que ele vive: os que ficam em ambiente com ar-condicionado, dentro de casa, podem ter mais pelos do que os que vivem no quintal. O melhor é procurar um veterinário para saber qual é a frequência adequada para a tosa do seu cão.

Quantos bichos!

Vários insetos dão as caras na época de calor, como mosquitos, pulgas e carrapatos. É preciso ficar de olho, pois eles podem transmitir diversas doenças para gatos e cachorros. Se você estiver num local com muitos insetos, peça para seus conversarem com um veterinário para saber como evitar que seu pet fique incomodado.

Consultoria: Guilherme Soares (médico veterinário) e Jonas BYK (biólogo especialista em comportamento animal).