Recreio
Natureza / Fenômenos

Como se forma um iceberg?

Eles viajam pelos mares, são gigantescos e ainda abrigam vida. Saiba mais sobre os icebergs

Lucas Vasconcellos Publicado em 15/06/2020, às 12h24 - Atualizado às 15h24

Getty Images
Getty Images

Icebergs são grandes pedaços de gelo, formados de água doce, que se desprendem das geleiras. Eles surgem a partir da ação das correntes marítimas: com o tempo, o sobe e desce faz com que apareçam microfraturas no gelo. Elas se expandem até que um pedaço se solta, formando o iceberg.

Em média, icebergs medem 70 metros de altura. Disso tudo, entre 60% e 70% ficam submersos. É que a densidade do gelo é um pouco menor que a da água salgada. E eles também são superpesados: em média, um iceberg ártico (no Norte do planeta) pesa 200 mil toneladas; na Antártica, são comuns os com 10 milhões de toneladas!

Quanto tempo dura?

A enorme quantidade de água congelada que compõe o iceberg não derrete facilmente: demora mais ou menos 2 anos para que isso ocorra! Mas esse tempo pode variar. Quando ele viaja pelo oceano, o derretimento fica mais rápido por causa das ondas e da variação de temperatura. Quanto maior o bloco de gelo, mais devagar ele derrete.

Para que o iceberg viaje pelas águas, ele conta com o arrasto das correntes marítimas e com a ação do vento: os dois atuam na parte emersa, ou seja, a que conseguimos ver. A velocidade varia conforme a corrente marítima (os que ficam no Hemisfério Norte podem se deslocar a 20 centímetros por segundo). Além disso, alguns icebergs têm água em estado líquido por dentro, o que ajuda no deslocamento.

De todo tipo

Os formatos são variados, como os de tábua, os arredondados e os irregulares. Isso costuma indicar a origem e idade: os de tábuas vêm das plataformas de gelo (extensas geleiras flutuantes, que podem ultrapassar 500 quilômetros de extensão na Antártida); os irregulares surgem de geleiras flutuantes (ela são menores); e os arredondados ficam assim por causa das ondas.

Os que têm formato de tábua podem ter até 120 metros de altura e pesar cerca de 400 toneladas – ele tem água suficiente para abastecer uma cidade de 3 milhões de habitantes por 1 ano! Apesar disso, é muito caro rebocar um iceberg para que ele possa ser usado em áreas de seca.

Vida no gelo

Enquanto flutuam e derretem, os icebergs liberam água rica em nutrientes, que alimentam os bichinhos chamados de krill – eles servem de comida para pinguins, focas e baleias. Além disso, esses blocos de gelo abrigam peixes, que vivem nas fendas, e são usados por aves como local de pouso.

Você sabia que depois que o navio Titanic naufragou por ter batido em um iceberg, em 1912, foi criada a Patrulha Internacional do Gelo para monitorar esses blocos de gelo no Atlântico? Hoje, satélites também monitoram icebergs.


Consultoria: Centro Polar e Climático da UFRGS.