Recreio

Como surgiram os nomes das cores?

Vermelho, azul, amarelo, laranja... Descubra a história por trás destes nomes!

Redação Publicado em 23/04/2021, às 15h00 - Atualizado às 16h43

Imagem ilustrativa de lápis coloridos - Pixabay
Imagem ilustrativa de lápis coloridos - Pixabay

Já parou para pensar sobre a origem dos nomes das cores? Elas surgiram em outros idiomas e foram adaptadas para a língua portuguesa.

Amarelo

No passado, acreditava-se que a icterícia (doença deixa as crianças amareladas) era causada pela bile, um líquido produzido pelo fígado que, em latim, era chamado de amargus. No diminutivo, a palavra virava amarellus, que acabou virando amarelo.

Laranja

Há séculos, os árabes levaram para a Europa a fruta laranja. Em árabe, ela era chamada nárandja. A fruta ganhou um nome parecido em português e tudo ficou laranja.

Branco

No idioma dos antigos germânicos, blank significa brilhante, polido. Os povos latinos pegaram termo emprestado para nomear tudo o que é reluzente. Aí, surgiu o branco.

Preto

O nome da cor preta vem do latim appectoráre, que queria dizer comprimir contra o peito. Com o tempo, o appectorár virou apretar. E por aqui ficou preto, numa associação a tudo que é denso, escuro, apertado.

Azul

Foi uma pedra preciosa chamada lápis-lazúli que batizou a cor azul. Em latim, lápis significava pedra e o lazúli veio do árabe lázúrd, nome da rocha azulada. Em latim, o que era pedra continuou pedra, e a cor ficou simplesmente azul.

Marrom

Os franceses chamam a castanha portuguesa de marron. E foi da cor desse fruto que veio o nosso marrom. Aliás, o marrom-glacê é isso: um doce escuro feito de castanha portuguesa.

Cinza

Em latim, o pó que sobra das brasas depois que a fogueira apaga chamava-se cinisia. A palavra queria dizer cinzas, que se transformou também no nome do tom cinza.

Vermelho

Antigamente, o único jeito de fazer tinta vermelha era esmagando o inseto cochonilha, que virava um vermelhão. O nome dessa cor vem do latim vermiculum ou vermezinho.

Verde

É uma das poucas cores que já nasceu com nome. Veio do verbo latino vivere, que significava estar verde, verdejar. Daí, surgiu a associação do verde com algo que está nascendo, que ainda não está pronto.