Recreio
Natureza / Plantas

Cheia de mistérios: 7 curiosidades sobre a vitória-régia

Descubra os segredos da vitória-régia, a maior planta aquática da Amazônia

Maria Carolina Cristianini Publicado em 06/03/2022, às 14h00

Vitória-régia em seu habitat natural - Pixabay
Vitória-régia em seu habitat natural - Pixabay

A vitória-régia é uma planta nativa do norte do Brasil, da Bolívia e das Guianas. Ela recebeu esse nome em homenagem à rainha Vitória, que governou a Grã-Bretanha entre 1837 e 1901. A palavra régia vem de regina que, em latim, quer dizer “rainha”. Essa planta também é conhecida pelo Brasil como rainha-dos-lagos, forno-d’água e jaçanã.  

Conheça mais curiosidades sobre essa planta incrível!

1. Diferente

Não adianta procurar em jardins, florestas ou montanhas. A vitória-régia só vive na água. Com o tempo, ela se adaptou a rios e lagos e só se desenvolve em lugares úmidos e quentes, como a floresta Amazônica.

2. Recordista

A vitória-régia tem a maior folha flutuante do mundo, com até 2 metros de diâmetro. Com todo esse tamanho, a folha consegue sustentar até 45 quilos distribuídos em sua superfície sem afundar.

3. Mantenha distância!

Para se proteger e não virar comida de peixes e mamíferos aquáticos comilões, a vitória-régia conta com hastes compridas e cheias de espinhos que saem do caule. Assim, evita mordidas inesperadas.

4. Choveu! E agora?

Para não acumular água de chuva e apodrecer, as folhas da vitória-régia têm minúsculos tubinhos. A água da chuva passa por eles e escorre até as fendas que ficam na borda da folha, caindo no rio.

5. Será que afunda?

As folhas flutuam porque são formadas por uma estrutura cheia de espaços de ar entre suas células. Se as folhas rasgarem, a água entra nos espaços onde está o ar e a planta vai para o fundo.

6. Firme no lugar

A planta parece boiar, mas fica presa por grossas raízes enterradas no fundo, que sustentam o caule. Ela só cresce onde quase não há correnteza, pois em águas agitadas, o caule e a raiz seriam arrancados.

7. Enfeite noturno

As flores se abrem ao entardecer e são brancas, grandes e perfumadas para atrair os insetos noturnos, que fazem a polinização. Depois que são polinizadas, as flores mudam de cor e ficam rosadas.