Recreio
Facebook RecreioTwitter RecreioInstagram Recreio
Entretenimento / Personagens

A verdadeira história por trás de Pocahontas

Apesar do sucesso da animação, clássico da Disney pouco tem a ver com a história real da indígena nativo-americana

Daniela Bazi Publicado em 28/08/2020, às 16h35 - Atualizado em 23/06/2022, às 12h30

Imagem promocional do filme Pocahontas II - Uma Jornada para o Novo Mundo (1998) - Divulgação/Disney
Imagem promocional do filme Pocahontas II - Uma Jornada para o Novo Mundo (1998) - Divulgação/Disney

Lançado em 1995, Pocahontas é uma das clássicas animações de princesas da Disney, que conta a história de uma índia nativo-americana, filha do líder da tribo em que morava, que se apaixona por John Smith, um dos colonos ingleses que ameaçam tomar o local em que morava e, juntos, conseguem acabar com a intriga entre os dois povos pelo território.

Entretanto, o que muitos não sabem, é que a jovem Pocahontas realmente existiu, mas sua história não é igual a narrativa retratada por Walt Disney. Seu nome, na verdade, era Amonute, onde muitos às vezes era chamada de Matoaka. Nascida em 1596, ela realmente era filha do líder Powhatan, e eles viviam na região conhecida atualmente como Jamestown, na Virgínia.

disney
Comparação entre a personagem de Pocahontas e a mulher da vida real / Crédito: Divulgação/Disney/Wikimedia Commons

Durante toda sua vida, a jovem Matoaka acompanhou a eterna briga entre colonos e americanos e, em 1607, foi quando salvou John Smith de ser morto pelo seu pai. Diferente da animação, ela tinha apenas por volta de 10 a 12 anos de idade, e não teve nenhum relacionamento amoroso com o homem.

Nas escrituras deixadas pelo aventureiro, ele escreveu após a morte da nativa que uma doce e bela filha de um poderoso líder nativo o resgatou de uma execução. Por esse motivo, a ideia de que ambos teriam se apaixonado e lutado contra seus próprios povos para proteger um ao outro percorreram ao passar dos séculos, mesmo não sendo real.

++Confira a matéria completa no website da Aventuras na História, parceiro da Revista Recreio e Grupo Perfil. Clique aqui!