Recreio
Entretenimento / Entretenimento

O Esquadrão Suicida: Como a “horrivelmente bela mente” de James Gunn funciona

Veja curiosidades sobre o diretor do filme!

Redação Publicado em 30/03/2021, às 16h42 - Atualizado em 31/03/2021, às 13h51

Imagem promocional de Esquadrão Suicida 2 - Divulgação/Warner Bros. Pictures
Imagem promocional de Esquadrão Suicida 2 - Divulgação/Warner Bros. Pictures

Que James Gunn gosta de fazer trabalhos que fogem do comum todo mundo já sabe. Afinal, quem arriscaria dizer, em 2014, que Guardiões da Galáxia se tornaria um dos grandes sucessos do cinema para a Marvel? A marca deixada por Gunn na direção e roteiro do filme fez o grande público se encantar pelos heróis espaciais, até então bastante desconhecidos.

Apesar de todas as polêmicas que acompanharam a trajetória profissional do cineasta nos últimos anos, Gunn tem uma das mentes mais brilhantes da atualidade e seu próximo filme, O Esquadrão Suicida (cujo trailer foi lançado há alguns dias), vai nos ajudar a entender como esse cérebro funciona. Em aquecimento para essa nova produção, a empresária e quadrinista Carol Zara, que tem amigos em comum com James Gunn, e já teve conversas casuais com ele por telefone e pelas redes sociais por vários anos, separou uma lista de curiosidades sobre o cineasta. Confira!

James Gunn e o gênero terror

Seis anos antes de se tornar um diretor famoso, James Gunn foi jurado em Scream Queens, programa de TV americano no qual atrizes competiam por um papel no sexto filme da série Jogos Mortais. No reality, James dirigiu desafios em que as candidatas testavam seus dons com cenas em que elas eram cobertas de baratas ou perseguidas por criaturas assustadoras.

A paixão pelo gênero acompanha Gunn desde a infância, quando ele produzia filmes de zumbis com seus irmãos. A sua trajetória profissional no gênero começou nos anos 90, assim que ele iniciou sua carreira de diretor e roteirista na Troma Entertainment, produtora de filmes fundada por Lloyd Kaufman, diretor de O Vingador Tóxico. No futuro ele se tornaria roteirista de filmes como Madrugada dos Mortos e Scooby Doo 2: Monstros à Solta, além de assinar a direção de Seres Rastejantes - seu primeiro trabalho como diretor antes de Guardiões da Galáxia.

“Muitos falaram que a Marvel foi ousada em contratar um diretor pouco conhecido pelo público. Acho que a empresa acreditou no potencial do James, mas provavelmente não previu o grande sucesso do filme nos cinemas de todo o mundo!”, afirma Carol Zara. A própria quadrinista recebeu um convite para participar do filme, mas não conseguiu pagar as passagens e estadia européia na época. “Confesso que me arrependo hoje em dia!”, diz ela. James Gunn e suas amizades Carol afirma que o cineasta valoriza muito suas amizades. “Dava para sentir isso quando conversávamos”, diz.

Observando o elenco de O Esquadrão Suicida, percebe-se que Gunn mantém boa parte de seus colegas em suas diferentes produções. Michael Rooker, Nathan Fillion, Steve Agee e Sean Gunn, irmão de James, são todos personagens da franquia Guardiões da Galáxia e, agora, estrelam o novo Esquadrão Suicida. Que demais! James Gunn e o Brasil O cineasta esteve na CCXP de 2016 e, nesse dia, não houve dúvida do encantamento de Gunn com os fãs brasileiros.

Apresentando novidades para o segundo filme da franquia, Gunn elogiou muito o país, afirmou que aquela era a melhor Comic Con que ele já participara, e deixou claro que apresentar o trailer para o público brasileiro foi uma das melhores coisas que ele já havia feito na carreira. “Eu sou suspeita para falar disso, né? (risos). Eu acho incrível quando uma celebridade estrangeira entende o amor dos fãs brasileiros. Nós somos um povo muito apaixonado, e leal ao que gostamos. O James com certeza percebeu isso!”, reflete Carol. 

James Gunn e O Esquadrão Suicida

Após todo o rebuliço causado pelo resgate de tweets de anos atrás com piadas escandalosas e a demissão da franquia Guardiões da Galáxia, parecia não haver soluções rápidas para a reinserção do cineasta na esfera do cinema de heróis. Até ele ser contratado pela Warner Bros para escrever e dirigir a nova versão de Esquadrão Suicida, cujo primeiro filme não foi bem recebido pelo público.

A franquia da DC não parecia ter salvação, mas não foi o que o trailer lançado nos últimos dias fez parecer. “Eu conheci o David Ayer, diretor do primeiro Esquadrão Suicida, em 2012 no Festival Internacional de Cinema de Toronto. Ele tem uma personalidade totalmente diferente da de James; o Esquadrão Suicida que ele dirigiu seguiu bastante o estilo dele, mais urbano e com um toque de cultura hip-hop. O James é nerd mesmo, de verdade, e uma pessoa muito bem-humorada, então ele entende bem o público que assiste a filmes de super-heróis... é por isso, também, que eu não fiquei surpresa quando vi que ele colocou o Starro no filme!”, declara Carol. “Confio muito no trabalho dele.Como o próprio trailer destaca, esse filme vai mostrar para o grande público como a ‘horrivelmente bela mente’ do James funciona”, completa ela. Estamos ansiosos!

Sobre Carol Zara

Carol Zara é a editora e co-criadora da história em quadrinhos Alien Toilet Monsters®, série de terror e ficção científica que explora o conceito do multiverso. A primeira edição da HQ superou a venda de títulos renomados como Batman, Superman e The Walking Dead, segundo varejistas especializados dos Estados Unidos. Nascida no Rio de Janeiro, mas residente no Canadá, Carol já trabalhou como influenciadora para a Virgin Gaming, empresa de e-sports do Richard Branson, e como estrategista digital para os co-fundadores do Ethereum, uma plataforma blockchain.

instagram.com/carolzara | instagram.com/alientoiletmonsters