Conheça as luas dos outros planetas do sistema solar

Outros planetas do sistema solar também têm luas, com tamanho e formação diferentes da lua terrestre

Letícia Yazbek Publicado sexta 3 abril, 2020

Outros planetas do sistema solar também têm luas, com tamanho e formação diferentes da lua terrestre
Outros planetas do sistema solar também têm luas - Pixabay

Um satélite natural é um corpo celeste que orbita outro corpo. Ele pode aparecer do choque entre dois corpos celestes — é o que deve ter ocorrido com a Lua da Terra: após a colisão, um pedaço do planeta teria se soltado, formando o satélite. A lua também pode surgir durante a formação do planeta que irá orbitar ou sair da órbita de um astro e se estabilizar na de outro. Os satélites de Marte, por exemplo, eram asteroides que foram capturados pela gravidade do planeta.

Há cerca de 150 luas orbitando os planetas do nosso sistema solar. A Terra tem apenas um satélite natural — a Lua. Marte tem dois, chamados de Fobos e Deimos. Mercúrio e Vênus não têm nenhum satélite conhecido — eles estão muito próximos do Sol, que engole o material que formaria os satélites naturais. Há mais de 60 luas em Júpiter, cerca de 60 em Saturno, 27 em Urano e 13 em Netuno. Os pesquisadores acreditam que a grande força dos campos gravitacionais dos planetas gasosos fez com que eles atraíssem diversos satélites.

Conheça os principais satélites naturais do nosso sistema solar:

Maior de todos

Ganímedes é o maior satélite de Júpiter e o também o maior do Sistema Solar. Essa lua tem diâmetro de 5.262 quilômetros, maior do que o diâmetro de Mercúrio, de 4.879 quilômetros. Ela é formada por um núcleo rochoso e um manto de água e gelo, e é cheia de montanhas, vales e crateras. Os pesquisadores acreditam que Ganímedes tem uma fina atmosfera de oxigênio.

Chuva diferente

Titã é o maior satélite natural de Saturno e o segundo maior do sistema solar. Ele tem um diâmetro cerca de 50% maior do que o da lua terrestre. Titã tem uma atmosfera densa, composta de metano e carbono, e uma superfície rochosa. O satélite natural também apresenta lagos e rios de etano e metano. O metano se comportaria como a água na Terra, evaporando e caindo em forma de chuva.

Cheia de crateras

Terceira maior lua do sistema solar e segunda maior de Júpiter, Calisto tem 4.821 quilômetros de diâmetro — quase o mesmo tamanho de Mercúrio. A superfície dessa lua é coberta por crateras, formadas pelo impacto de meteoritos. Sob a crosta gelada, há provavelmente um enorme oceano. De acordo com estudos da Nasa (a agência espacial norte-americana), em uma futura exploração de Júpiter, Calisto seria o local ideal para montar uma base terráquea.

Oceano congelado

Europa é outra grande lua de Júpiter. Ela é um pouco menor do que a Lua da Terra: tem cerca de 3.121 quilômetros de diâmetro, enquanto nossa lua tem 3.474 quilômetros. Europa tem uma superfície cheia de linhas coloridas e brilhantes. Os pesquisadores acreditam que se trata de um grande oceano congelado. Mesmo sendo muito menor do que a Terra, Europa deve ter duas vezes mais água do que o nosso planeta. A lua teria as condições ideais (como água, calor e compostos orgânicos) para abrigar vida com organismos de baixa complexidade.

Muito gelo

Com diâmetro de 2.700 quilômetros, Tritão é o maior satélite natural de Netuno. É também a lua mais fria do sistema solar: a temperatura na superfície é de 235 graus Celsius negativos. Tritão é a única lua do nosso sistema solar que orbita em sentido oposto à rotação do planeta. Tem a superfície formada por nitrogênio congelado e o núcleo feito de rocha e metal. Parte da superfície apresenta vulcões que liberam nitrogênio líquido.

Último acesso: 03 Dec 2021 - 04:20:42 (1100293).