De onde vem os cometas?

Saiba mais sobre como funcionam as grandes pedras de gelo suja no céu

Lucas Vasconcellos Publicado sexta 21 agosto, 2020

Saiba mais sobre como funcionam as grandes pedras de gelo suja no céu
Imagem ilustrativa de um cometa - Pixabay

O cometa é uma pedra de gelo suja - o gelo de água é misturado a minerais e materiais voláteis (que mudam de estado facilmente, nesse caso, do estado sólido ou líquido para o gasoso), como dióxido de carbono e gás metano, e a sujeira é composta por poeira fina e pedras de diversos tamanhos.

Os cometas foram formados há cerca de 4,5 bilhões de anos, por matéria nebulosa - a mesma que deu origem aos planetas, luas e asteroides. Uma das teorias é a de que os cometas com períodos mais curtos (menos de 200 anos de vida) têm origem no cinturão de Kuiper, região do sistema solar que se estende da órbita de Netuno até 50 UA do Sol. Os de maior período (com mais de 200 anos), têm origem na nuvem de Oort (entre 50 e 100 mil UA do Sol). UA é o mesmo que unidade astronômica. 1 UA é igual a 149 597 871 quilômetros.

Além do Sol

Presos pela força da gravidade do Sol, cometas têm órbita elíptica (parecida com o formato de um ovo), que faz com que se aproximem ou se afastem da nossa estrela. Quanto mais distante for o afélio (ponto da órbita elíptica mais distante do Sol) do cometa, mais tempo ele leva para dar uma volta completa em torno do Sol.

Ao se aproximar do Sol, a temperatura da superfície do cometa começa a aumentar. O dióxido de carbono passa do estado sólido para o gasoso, atingindo 53 graus Celsius negativos. Mas, como os cometas costumam passar a vida além de Plutão, eles são mais gelados que isso.

Cometa no céu!

Próximos ao Sol, gases e grãos se libertam do núcleo do cometa e formam uma nuvem ao redor dele, que é conhecida como cabeleira ou coma. Essa nuvem é empurrada pela luz solar no sentido contrário ao Sol, formando a cauda, que pode chegar a 100 milhões de quilômetros de extensão! Quando vemos um cometa, na verdade estamos enxergando apenas a cauda dele. O núcleo fica ofuscado por causa da enorme quantidade de gás e poeira que o envolve.

Famosos

Único cometa de curto período que é regularmente visível a olho nu da Terra, o Halley é um dos cometas mais conhecidos. Ele se aproxima do nosso planeta a cada 76 anos, em média. A próxima vez deve ser em 2061! Já o Hale-Bopp foi um dos maiores cometas já observados da Terra. Ele foi visto em 1997, a olho nu, por quase 18 meses. Mas ele só passará pela Terra novamente no ano de 4385!



Consultoria: Cristiano Fiorilo (professor do Departamento de Engenharia Mecânica da UFMG) e Naelton M. de Araujo (Astrônomo da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro).

Último acesso: 21 Oct 2020 - 21:44:04 (1089906).