Recreio
Zoo / Animais

Camuflados: 8 animais que precisam se transformar para fugir dos predadores

Conheça os truques utilizados por alguns animais para se proteger contra ameaças

Letícia Yazbek Publicado em 20/08/2021, às 11h30 - Atualizado às 11h55

Imagem ilustrativa de um porco-espinho - Pixabay
Imagem ilustrativa de um porco-espinho - Pixabay

1. Lóris

O lóris é um mamífero que tem a cabeça redonda, o focinho estreito e grandes olhos. Ele vive na Ásia e costuma se mover bem devagar, sem fazer nenhum barulho para não chamar a atenção dos predadores. O lóris tem uma glândula no braço que libera uma toxina poderosa, que provoca necrose e pode até matar o inimigo. Para se proteger, o animal lambe os braços e espalha o veneno por todo o corpo. Como fica com a toxina na boca, também tem uma mordida letal!

2. Pangolim

O pangolim é um mamífero que vive em zonas tropicais da Ásia e da África. Ele mede de 60 centímetros a um metro e tem o corpo todo coberto de escamas. O pangolim se alimenta de formigas e cupins, usando a língua comprida – pode chegar a medir 30 centímetros! Quando se sente ameaçado, ele se enrola sobre si mesmo e fica coberto pelas duras escamas, protegido dos predadores. Esse mamífero também consegue exalar um forte cheiro e dar chicotadas com o rabo para afastar os inimigos.

3. Porco-espinho

O porco-espinho é um roedor que mede entre 60 e 80 centímetros e vive na África, Ásia e Europa. Ele tem o corpo todo coberto de espinhos de cerca de 10 centímetros de comprimento. Quando é ameaçado, esse animal balança os espinhos, produzindo um barulho que afasta os inimigos. Ele também pode grunhir e bater as patas traseiras como um alerta. Ao ser atacado, o porco-espinho vira de costas e deixa os espinhos entrarem no corpo do agressor. Dependendo da profundidade, os espinhos podem ferir e até matar o predador!

4. Cachalote-pigmeu

Espécie rara, a baleia cachalote-pigmeu pode atingir 4 metros de comprimento. Ela vive nos mares ao sul do planeta e se alimenta de polvos, lulas e crustáceos. Para evitar o ataque de animais maiores, como a orca, a cachalote-pigmeu solta pelo ânus uma substância avermelhada que se espalha rapidamente, colorindo a água e despistando o predador. Aí, ela consegue fugir antes de ser capturada!

5. Arganaz

O arganaz é um roedor que tem hábitos noturnos e se alimenta de frutas, sementes e insetos. Parente do esquilo, ele vive na África, Ásia e Europa. O arganaz costuma escapar dos predadores fugindo ou mordendo. Mas ele também tem um plano extra: quando o inimigo o captura pela cauda, o arganaz consegue soltá-la e fugir. O problema é que ele só pode usar esse truque uma vez na vida – depois que cai, a cauda não volta a crescer.

6. Gambá

Presente em toda a América, inclusive no Brasil, o gambá é um marsupial que se alimenta de frutos, insetos, anfíbios e até filhotes de pássaros. Ele costuma viver nas regiões de florestas e mede de 40 a 50 centímetros. Como é lento, não consegue fugir do predador. Para se defender, ele exala um forte cheiro, produzido pelas glândulas das axilas. Outra estratégia para escapar dos ataques é se fingir de morto até que o predador desista.

7. Pepino-do-mar

O pepino-do-mar é um invertebrado que vive nos oceanos de todo o mundo. Ele mede entre 3 centímetros e 2 metros e se alimenta do material orgânico do fundo do mar. Quando é atacado, o pepino-do-mar pode alterar o estado do corpo. Ele se torna uma massa mole e consegue se infiltrar em rachaduras e fissuras. Algumas espécies também conseguem expelir os órgãos internos por meio do ânus, para confundir o predador. O truque não afeta a saúde do bicho – ele se regenera em cerca de seis semanas.

8. Lagarto Horned

Encontrado na América do Norte, o lagarto Horned tem cerca de sete centímetros de comprimento e se alimenta de insetos. Ele usa a coloração do corpo para se camuflar e se esconder dos predadores. Quando é encurralado pelo inimigo, o lagarto Horned esguicha um jato de sangue pelos olhos, em direção ao rosto do oponente! Ele consegue fazer isso aumentando a pressão na região ocular e rompendo alguns vasos sanguíneos. O jato de sangue confunde os adversários e pode alcançar até 5 metros de distância.