Recreio
Zoo / Animais

7 animais que se transformam ao longo da vida

Alguns animais passam por várias fases até atingir a forma adulta. Saiba quem são eles

Letícia Yazbek Publicado em 03/07/2020, às 13h00 - Atualizado às 16h02

Getty Images
Getty Images

1. Borboleta

Quando os ovos da borboleta eclodem - depois de 5 a 15 dias -, liberam as larvas, conhecidas como lagartas. As lagartas se alimentam das folhas de vegetais, de onde tiram água e nutrientes. A borboleta fica nessa forma de 1 a 8 meses, dependendo da espécie. Aí, a lagarta se prende pela parte posterior do corpo, por meio de fios de seda, e começa a formar a pupa. Nesse estágio, fica imóvel durante uma a três semanas - o animal sobrevive graças às reservas acumuladas na fase de lagarta. Quando a borboleta está formada, a pupa se abre e dá origem ao inseto na forma adulta!

2. Sapo, rã e perereca

Os ovos dos sapos, rãs e perereca eclodem na água – aí, nasce o girino, forma larval do bicho. Ele vive em ambiente aquático, respira por meio de brânquias, tem uma longa cauda e não apresenta patas. Depois de oito semanas de vida, surgem as patas traseiras, e com 12 semanas, aparecem as patas dianteiras. É só na fase adulta, depois de 5 meses, que a cauda some, os pulmões são formados e o animal pode sair da água.

3. Cupim

Nos cupins, o desenvolvimento dentro dos ovos dura de 24 a 90 dias. Deles saem os jovens, que são bem parecidos com os adultos, mas menores. Com o tempo, vão se transformando e se livrando do exoesqueleto para poderem crescer. Aí, surgem os jovens chamados ninfas, que tem olhos e asas em desenvolvimento. Depois de mais transformações, as ninfas vão se transformar em operários (constroem ninhos e coletam alimentos), soldados (defendem colônia de invasores) ou reprodutores. Os reprodutores são os únicos que desenvolvem as asas – eles se transformam nos bichos de luz!

4. Estrela-do-mar

O ovo da estrela-do-mar é liberado na água e dá origem a uma larva. Depois de alguns dias, a larva começa a desenvolver os braços, que auxiliam na locomoção e alimentação. Nessa fase, o bicho tem simetria bilateral (dois lados do corpo são simétricos). Quando chega a hora, ela vai para o fundo do mar e se prende do solo. Aí, crescem novos braços e se desenvolve o sistema hidrovascular, essencial para a estrela-do-mar. Também é desenvolvida a simetria radial – o corpo do animal pode ser dividido em várias partes iguais.

5. Joaninha

A joaninha passa por uma metamorfose parecida com a da borboleta. Os ovos liberam as larvas, que têm o corpo longo e preto. Elas estão sempre escondidas, em busca dos pulgões ou ácaros dos quais se alimentam. Após algumas semanas, a larva se prende a uma folha e começa a tecer a pupa. Essa fase dura cerca de cinco dias – durante o período, o bicho não se move nem se alimenta. A fase final da metamorfose acontece quando a pupa se abre e o inseto adulto surge, com o corpo mole e rosado. Os pontos pretos e a cor vermelha só surgem depois de algumas horas, quando a casca endurece.

6. Lagosta

Os ovos da lagosta dão origem a larvas, chamadas de náuplios. Eles vivem nadando pela superfície e se alimentam de bactérias e partículas de algas. O náuplio tem a cabeça dividida em três partes, antenas, mandíbulas e um único olho, na frente da cabeça. Ele troca de casca cerca de 15 vezes – em cada fase, ganha novos segmentos, como as pinças e o abdômen, e passa a ter dois olhos. Na fase adulta, a lagosta vive no fundo do oceano, se alimentando de peixes e camarões.

7. Gafanhoto

O gafanhoto é um exemplo de metamorfose incompleta. Ela tem esse nome porque, nesse caso, os ovos dão origem às ninfas, que não passam pela fase pupa, como borboletas e joaninhas. As ninfas são versões menores e sem asas dos gafanhotos adultos. Nesse estágio, elas trocam de exoesqueleto cerca de cinco vezes – a cada troca, ficam maiores e mais fortes. Aí, chegam à fase adulta e ganham asas!