Recreio
Zoo / Zoo

De moluscos a pássaros: 6 animais que possuem venenos poderosos

Não são apenas aranhas e escorpiões que possuem substâncias fatais. Alguns peixes e aves também podem ser bastante perigosos

Letícia Yazbek Publicado em 06/08/2021, às 10h41 - Atualizado às 15h18

Pitohui dichrous na floresta - Wikimedia Commons
Pitohui dichrous na floresta - Wikimedia Commons

1. Mistura fatal

O molusco da espécie Conus geographus é considerado um dos animais mais venenosos do mundo — ele produz mais de 200 toxinas fatais. Esse animal vive nas águas rasas do oceano Pacífico e se alimenta de peixes. Usando dentes bem afiados, injeta os venenos nas presas, que têm o sistema nervoso afetado rapidamente e ficam paralisadas. O coquetel também é bem perigoso para seres humanos: uma gota dele seria suficiente para matar 20 pessoas!

2. Perigo no mar

Quem vê a vespa-do-mar, espécie de água-viva, boiando nas águas próximas à Austrália e Nova Guiné, não imagina que ela carrega um dos venenos mais poderosos do mundo. Ao entrar em contato com a pele da vítima, as células dos tentáculos liberam uma substância que perfura a epiderme e se dissolve no sangue. Aí, a respiração desacelera e o coração para de funcionar. A vespa-do-mar não ataca seres humanos — ela usa o veneno para caçar peixes e crustáceos. Mas, se esbarrar no animal, uma pessoa pode morrer em menos de 5 minutos!

3. Não toque nela!

Sabia que também existem aves venenosas? A mais perigosa delas é a Pitohui dichrous, que habita as florestas tropicais da Nova Guiné. A pele e as penas dessa ave são cobertas por uma substância neurotóxica, que tem a capacidade de paralisar os músculos do coração. O veneno é usado na caça e na defesa contra predadores.

Quando entra em contato com a pele (principalmente se houver pequenas feridas), boca, olhos e mucosas nasais do ser humano, a toxina é conduzida para a corrente sanguínea e pode causar a morte.

4. Arma indígena

Nativa das florestas tropicais da América do Sul, a rã de flecha venenosa tem tons vibrantes de amarelo, azul, verde ou preto, que não permitem que o animal se camufle na natureza. Por isso, a espécie utiliza toxinas letais contra os predadores, como a cobra. A substância fica na pele do animal e é transportada para a corrente sanguínea da vítima.

Ela bloqueia os impulsos nervosos e causa parada respiratória. Se entrar em contato com a boca, olhos, mucosas nasais ou feridas na pele de seres humanos, é fatal. O veneno de uma única rã é capaz de matar mais de 100 pessoas adultas. Ele é muito utilizado por povos indígenas: fica na ponta de flechas usadas para defesa e ataque. Cientistas acreditam que as toxinas presentes na rã de flecha venenosa e na Pitohui dichrous têm origem na alimentação, composta por diferentes insetos venenosos.

5. Parece uma pedra!

Habitante dos oceanos Pacífico e Índico, o peixe-pedra não é violento, mas é bem perigoso! Ele fica no fundo do mar e é confundido facilmente com pedras ou corais. Aí, muitas pessoas acabam pisando nele sem querer e sendo atingidas por um dos espinhos que protegem o corpo do animal. Esses espinhos, usados para afastar predadores, armazenam um veneno que causa choques, paralisia e necrose do tecido afetado. Se a vítima não for tratada rapidamente, o veneno pode levar à morte.

6. ​Picada dolorosa

Além de ter uma aparência bem diferente, o ornitorrinco é um dos poucos mamíferos venenosos. Ele vive na parte leste da Austrália e nas ilhas King e Tasmânia, que fazem parte do país. O macho dessa espécie utiliza um ferrão, localizado nas patas traseiras, para injetar um veneno que só é produzido durante a época de reprodução. A toxina é utilizada para defender o território de outros machos. Ela pode matar pequenos animais, mas não é letal para seres humanos. Apesar disso, provoca uma dor intensa que pode durar meses!

Consultoria: Guilherme Domenichelli (biólogo e autor dos livros Girafa tem Torcicolo? e O Resgate da Tartaruga (Panda Books)) e Leandro Guedes (pós-graduado em Astrofísica Extragaláctica e Filosofia da Ciência na Universidade de Notredame, EUA).