Roma: Um dos maiores impérios da Antiguidade

Entre os anos 27 antes de Cristo e 476, a pequena cidade de Roma se transformou em uma grande potência

Letícia Yazbek Publicado quinta 7 maio, 2020

Entre os anos 27 antes de Cristo e 476, a pequena cidade de Roma se transformou em uma grande potência
- Pixabay

Historiadores acreditam que a fundação de Roma foi resultado da ocupação dos povos grego, etrusco e italiota na Península Itálica. A cidade era governada por um rei de origem patrícia (nobres proprietários de terras). Mas, em 509 antes de Cristo, uma revolta dos patrícios tirou o poder da monarquia e estabeleceu uma república, formada por um consulado com dois representantes, um senado e uma assembleia dos cidadãos (composta por nobres).

No ano 27 antes de Cristo, Roma vivia diversos conflitos internos – enquanto isso, a influência política e cultural da cidade chegava a outras regiões da Europa. O poder estava centralizado em Otávio, importante general republicano, que acabou recebendo título de Augusto (ou divino) e se tornou imperador de Roma, cultuado como um deus. Era o início do Império Romano!

Depois de Augusto, que governou até o ano 14, Roma teve vários imperadores. Conheça alguns dos mais importantes:

Tibério (de 14 a 37): Foi o segundo imperador de Roma e herdou o trono do padrasto, Augusto.

Calígula (de 37 a 41): Teve o governo marcado pela crueldade com os presos e escravos e pelos altos impostos.

Nero (de 54 a 68): Um dos imperadores mais polêmicos, conhecido pela tirania e extravagância.

Marco Aurélio (de 161 a 180): Era um ótimo guerreiro e administrador. Durante o governo, houve muitas guerras.

Diocleciano (de 284 a 305): Fez reformas que ajudaram a adiar o declínio do Império e criar a base do Império Bizantino (considerado a continuação do Império Romano).

Constantino (de 306 a 337): Construiu Constantinopla e transferiu a capital do Império para a nova cidade.

Teodósio (de 378 a 395): Dividiu o Império Romano em duas áreas, com o objetivo de facilitar a administração e a defesa do território.

Apesar de não ser considerado imperador, Júlio César foi um dos principais responsáveis pelo surgimento do regime imperial. Ainda durante a República Romana, antes de Augusto se tornar imperador, Júlio César conquistou vários territórios. Ele fez diversas manobras políticas e garantiu governo vitalício entre 49 e 44 antes de Cristo.

De 27 antes de Cristo até o ano 300, Roma viveu a época chamada de Alto Império, quando acumulou o máximo de poder. Os povos conquistados eram escravizados e as províncias de Roma eram importantes fontes de recursos. Assim, a capital enriqueceu e muitos romanos passaram a viver com conforto e luxo. Foram feitas grandes obras de urbanização, como a construção de cidades, estradas, aquedutos, teatros e templos. Também havia forte incentivo à produção cultural e artística.

Ainda durante o período republicano, Roma iniciou a expansão dos territórios. Depois de dominar a Península Itália, os romanos formaram um exército para enfrentar os cartagineses (da antiga cidade Cartago, na atual Tunísia). Ao vencer as primeiras Guerras Púnicas (entre 264 e 146 antes de Cristo) e destruir Cartago, eles dominaram o Mar Mediterrâneo e ampliaram as conquistas, chegando à Grécia, Macedônia, Gália (atual França), Germânia (atual Alemanha), Síria e Líbano.

Já o Baixo Império (entre os anos 300 e 476) foi caracterizado pela decadência romana. Nesse período, povos bárbaros da região da Germânia (atual Alemanha) tentavam ocupar territórios dentro do Império. Em 395, o imperador Teodósio dividiu o império entre Ocidente (capital Roma) e Oriente (capital Constantinopla – atual Istambul).

Isso trouxe um aumento das guerras contra os bárbaros – o exército romano estava com menos recursos por causa dos gastos com luxo. A partir de 476, os germânicos passaram a construir diferentes reinos, dando origem à civilização europeia ocidental. Adeus, Império Romano!

Várias características culturais dos romanos permanecem vivas. Além de o latim, língua falada no Império, ter originado idiomas como português, francês, italiano e espanhol, o direito romano (conjunto de leis) está presente na cultura ocidental. Diversas técnicas de arte, filosofia, arquitetura e literatura da época também fazem parte de nossa cultura.


 

+Saiba mais sobre a História por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

O livro da história, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2A6nAaa

Sapiens - Uma Breve História da Humanidade, de Yuval Noah Harari (2015) - https://amzn.to/2Wbw5JF

Box Heródoto: História, de Heródoto (2019) - https://amzn.to/2YDVnBK

As Cruzadas: Uma História, de Jonathan Riley-smith (2019) - https://amzn.to/3bf9HTH

Notre-Dame: A história de uma catedral, de Ken Follett (2020) - https://amzn.to/3dohpMQ

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Recreio pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/3doipA

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2WBSheM

Último acesso: 24 Sep 2021 - 13:02:06 (1100268).