Recreio

Da chegada dos portugueses até os dias atuais: Os ciclos econômicos do Brasil

Conheça cada ciclo de produção e aprenda mais sobre a história do nosso país

Letícia Yazbek Publicado em 16/07/2021, às 10h00 - Atualizado às 10h16

Cédulas de reais - Pixabay
Cédulas de reais - Pixabay

Da chegada dos portugueses até os dias atuais, o Brasil passou por vários ciclos econômicos, marcados pela a produção e extração de diferentes produtos. Conheça cada ciclo de produção e aprenda mais sobre a história do nosso país.

Árvore vermelha

O Pau-Brasil foi o primeiro produto das terras brasileiras explorado pelos portugueses. A madeira pesada dessa árvore era vendida no mercado europeu e utilizada na fabricação de móveis e de instrumentos musicais como violinos e harpas. O extrato da madeira, que gerava uma espécie de tinta vermelha, era usado para tingir tecidos.

O Pau-Brasil era muito presente na região da Mata Atlântica, mas, com o passar das décadas, ficou mais difícil de ser encontrado. Aí, o custo de extração aumentou e os portugueses perderam o interesse pelo comércio da árvore.

Que doce!

Por volta de 1530, os portugueses trouxeram ao Brasil as primeiras plantas de cana-de-açúcar, vindas da Ilha da Madeira, no Oceano Atlântico. Elas se adaptaram ao solo argiloso do Nordeste, e a região se tornou o principal polo de produção de açúcar. Ele era vendido por altos preços na Europa e produzido apenas por países do Oriente Médio e ilhas do Oceano Atlântico.

Por isso, os portugueses decidiram investir na produção. O ciclo do açúcar teve o melhor momento de 1646 a 1654 — com o aumento da oferta do produto por vários países, no fim do século 17, o ciclo entrou em declínio.

Riquezas minerais

No século 18, a extração de ouro e diamante foi a principal atividade econômica do Brasil. As primeiras minas foram encontradas nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Mato Grosso e Goiás. Os grandes proprietários rurais e os comerciantes ficaram responsáveis pela extração dos minerais. A Coroa Portuguesa lucrava com a cobrança de impostos de quem encontrasse ouro, diamante ou outro mineral.

A extração exigia investimentos em equipamentos, terrenos e mão de obra. O ciclo da mineração aumentou a riqueza do Brasil e transformou as cidades, incentivando as atividades culturais. A partir de 1760, o esgotamento das minas e a falta de recursos técnicos para a exploração levaram o ciclo da mineração ao declínio.

Nas suas roupas

No fim do século 18 e início do século 19, o algodão era um dos principais produtos exportados pelo Brasil. Ele era produzido principalmente no Maranhão e exportado para o mercado britânico, que precisava da matéria-prima para a fabricação de tecidos.

No século 19, surgiram muitas empresas têxteis no Brasil, e o algodão também passou a ser utilizado por aqui. Com o avanço da cultura do café, o algodão perdeu espaço e deixou de ser um dos principais produtos de exportação. Mas, até hoje, ele é muito importante para a economia brasileira.

Ouro negro

O café chegou ao Brasil no início do século 19, a partir de sementes trazidas da Guiana Francesa. Ele era produzido principalmente no interior de São Paulo e do Rio de Janeiro, e exportado para os Estados Unidos e a Europa. Na segunda metade do século 19, o café se tornou o principal produto de exportação do país – também muito consumido no mercado interno.

Grande parte do lucro obtido com a exportação do café foi investida na indústria, aumentando o desenvolvimento do país. O ciclo do café entrou em declínio com a crise internacional de 1929, que diminuiu a demanda pelo produto.

Material diferente

A partir da segunda metade do século 19, a borracha chamou a atenção dos empreendedores brasileiros. O látex era extraído das seringueiras e transformado em borracha, que servia de matéria-prima para a produção de pneus. Com a expansão das indústrias de automóveis, o Brasil passou a exportar toneladas de borracha, principalmente para as fábricas norte-americanas.

No início do século 20, o Brasil se tornou o maior produtor e exportador de borracha do mundo. As principais regiões produtoras eram os estados do Pará e de Amazonas. O ciclo da borracha entrou em declínio com a grande oferta do produto por outros países.

A vez das fábricas

No início século 20, o desenvolvimento do Brasil fez com que fossem criadas indústrias de tecidos e calçados. Mais tarde, indústrias multinacionais se instalaram aqui, como montadoras de veículos internacionais. Entre as décadas de 1970 e 1990, a industrialização do Brasil continuou a crescer — passaram a ser produzidos produtos como máquinas, equipamentos, eletrodomésticos e alimentos industrializados.

É importante lembrar que os ciclos de produção tiveram épocas de ouro, mas até hoje muito desses produtos são importantes para a economia do Brasil. O país exporta produtos como minério de ferro, aço, soja, automóveis, aviões, cana-de-açúcar, carne bovina e café.

Consultoria: Célia Tavares (professora do Departamento de Ciências Humanas da UERJ) e Guilherme Grandi (professor do Departamento de Economia da USP).