Recreio
Viva a História / Pandemia

O que foi a Gripe Espanhola?

Em 1918, esse outro vírus também causou preocupação em todo o mundo

Daniela Bazi Publicado em 15/04/2020, às 09h26 - Atualizado às 09h26

Enfermeira cuidando de paciente com gripe espanhola - Wikimedia Commons
Enfermeira cuidando de paciente com gripe espanhola - Wikimedia Commons

Entre os anos de 1918 e 1919, uma outra pandemia devastou o mundo: a gripe espanhola. Ela começou a se espalhar devido a Primeira Guerra Mundial, porém, até os dias de hoje ainda não existem registros sobre o local exato de onde a doença teria surgido. Em pouco tempo, ela foi responsável por matar mais de 50 milhões de pessoas.

Apesar de não ter nascido na Espanha, ela recebeu esse nome devido a grande divulgação sobre o que estava acontecendo nas mídias espanholas, diferente dos outros países que estavam envolvidos na guerra e, com a grande censura que sofriam, não podiam publicar sobre o assunto para evitar que as notícias afetassem os soldados e não causassem pânico na população. 

Os historiadores brasileiros acreditam que o vírus tenha chegado no Brasil por volta de setembro de 1918. Quem teria trazido para cá foi o navio Demerara, que vinha da Europa e atracou nas cidades de Salvador, Rio de Janeiro e Recife. A imprensa de Recife na época relatou que muitas pessoas presentes na embarcação desembarcaram muito doentes, o que aumentou as suspeitas de que seriam vítimas da gripe espanhola. 

Não demorou muito para que a doença se espalhasse para todo o Brasil, afetando principalmente o Rio de Janeiro e São Paulo. Somente na capital paulista aproximadamente 350 mil pessoas foram infectadas, e as pessoas eram pedidas para evitar aglomerações, lavar as mãos regularmente e evitar o contato físico. O presidente eleito no mesmo ano de 1918, Rodrigues Alves, foi uma das vítimas da gripe e faleceu antes de assumir seu cargo.

A pandemia teve fim em 1919, por motivos que ainda não são concretos. De acordo com a teoria levantada pelos cientistas, o vírus teria sofrido uma rápida mutação, que o tornou mais fraco e, consequentemente, mais fácil de ser combatido.