Recreio
Viva a História / Datas comemorativas

Há 199 anos, Dom Pedro I proclamava a Independência do Brasil

Em 7 de setembro de 1822, o monarca gritou às margens do rio Ipiranga "independência ou morte"

Thaís Mariano Publicado em 06/09/2021, às 10h30 - Atualizado às 12h03

Quadro "Independência ou Morte", de Pedro Américo (1888) - Wikimedia Commons
Quadro "Independência ou Morte", de Pedro Américo (1888) - Wikimedia Commons

A História do Brasil é marcada por diversas controvérsias, conflitos, acordos e datas de extrema importância e simbolismo para a nação. O Dia da Independência do Brasil, comemorado em 7 de setembro, é uma dessas datas que marcam grandes mudanças no país.

O processo de independência do Brasil

No ano de 1808, a chegada da família real portuguesa no Brasil ocasionou uma série de transformações econômicas e comerciais que, aos poucos, fizeram com que o país deixasse de se tornar uma colônia e começasse a fazer parte do reino português. Dentre essas medidas, estavam a abertura dos portos brasileiros para as nações amigas, a reestruturação urbana do Rio de Janeiro e a criação da Academia Militar e do Banco do Brasil. 

No entanto, todas essas mudanças causaram insatisfação tanto de uma parte do povo brasileiro, que realizou a Revolução Pernambucana de 1817, quanto do povo português, que se manifestou em uma Revolução Liberal do Porto de 1820. Na época, Portugal enfrentava uma forte crise como consequência da invasão francesa no país, e essa crise tornou-se ainda maior com a liberdade econômica alcançada no Brasil.

As maiores exigências feitas pela Revolução de Porto foram o restabelecimento do monopólio comercial no Brasil e o retorno do rei D. João VI para Portugal. Pressionado e ameaçado de ser derrubado do trono, o rei acabou retornando para o país de vez, levando uma grande quantidade de ouro. Seu filho, Pedro de Alcântara, foi transformado em príncipe regente do Brasil.

O reinado de D. Pedro I e o 7 de setembro

Nos anos que se seguiram, o processo de independência do Brasil passou a ganhar ainda mais força. Durante a regência de Pedro de Alcântara, as Cortes Portuguesas tomaram algumas medidas bastante impopulares, como a transferência das principais instituições criadas durante o Período Joanino, o envio de mais tropas para o Rio de Janeiro e a exigência de retorno do príncipe para Portugal.

Nessa época, as negociações entre as autoridades brasileiras e portuguesas ficaram marcadas pela intransigência dos portugueses, que contribuiu para aumentar a distância entre os países. Assim, no Brasil, foi formado o Clube da Resistência, que reuniu milhares de assinaturas exigindo a permanência de Pedro de Alcântara. Tal fato ocasionou no Dia do Fico, em 9 de janeiro de 1822, quando o príncipe anunciou que permaneceria no Brasil.

Em agosto, a situação entre Brasil e Portugal se agravou. Por isso, D. Maria Leopoldina convocou uma sessão extraordinária no dia 2 de setembro, quando ficou decidido que era o momento de declarar a independência do Brasil. Assim, no dia 7 de setembro de 1822, há exatamente 199 anos atrás, Dom Pedro I gritou às margens do rio Ipiranga “independência ou morte”. E foi a partir da famosa frase que a independência do país foi declarada, transformando-se em uma monarquia com a coroação de D. Pedro I

Consequências da independência

Diferente do que retratam as diversas pinturas e descrições que imortalizaram a data, o cenário da independência não foi nada glamuroso e nem um pouco pacífico. Quando a notícia se espalhou, algumas regiões brasileiras se rebelaram contra o movimento e permaneceram leais à Portugal — como no Pará, Bahia, Maranhão e Cisplatina (atual Uruguai). Diversas manifestações foram realizadas até 1824, em um período que ficou conhecido como a Guerra da Independência — até que todas as províncias fossem conquistadas por D. Pedro I.

Como consequência, o Brasil surgiu como uma nação independente e passou a construir sua nacionalidade. Pela primeira vez, foi estabelecida uma monarquia nas Américas — sendo a única de toda a América do Sul. Outro fator de destaque na época foi o endividamento do Brasil, que pagou 2 milhões de libras à Portugal como indenização.

Para saber mais sobre esse momento histórico do país, confira alguns livros sobre o tema que estão disponíveis no site da Amazon: 

1. Independência e Morte. Política e Guerra na Emancipação do Brasil / 1821-1823 - https://amzn.to/2R6jZ1b  

livros


2. D. Leopoldina: a história não contada: A mulher que arquitetou a independência do Brasil - https://amzn.to/2Z5ijcG

livros


3. A Independência do Brasil (Descobrindo o Brasil) - https://amzn.to/3bohDnD  

livros


4. 1808 – Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil - https://amzn.to/2QTaX7s  

livros


5. História do Brasil em Quadrinhos - Independência do Brasil - https://amzn.to/2F1oV4r 

livros

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com a data da publicação desta postagem. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a Recreio pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2YPDTSf 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2YUk6km