Recreio
Facebook RecreioTwitter RecreioInstagram Recreio

Realeza no Brasil: Saiba como foi a chegada da Família Imperial ao País

Em 1807, Dom João VI fugiu com sua família para a colônia brasileira após as tropas de Napoleão invadirem Portugal. Descubra como tudo aconteceu!

Christiane Oliveira Publicado em 20/11/2020, às 15h00 - Atualizado em 30/04/2022, às 11h00

Pintura retratando a chegada da corte portuguesa ao Brasil - Divulgação
Pintura retratando a chegada da corte portuguesa ao Brasil - Divulgação

A família real portuguesa escapou do país em 29 de novembro de 1807. Na época, dom João VI governava Portugal em nome da mãe, Maria I, mais conhecida como Rainha Louca — ela tinha problemas psicológicos e vivia trancada no palácio. Quando as tropas de Napoleão invadiram Portugal, ainda dava para ver os navios do rei no horizonte.

Além de demorado, o percurso até as terras brasileiras foi turbulento. Não existia nenhum tipo de geladeira, e a comida — lentilha,azeite, repolho azedo, bacalhau e carne de porco — foi estragando e acabando. Algumas pessoas passavam mal com o balanço do mar e vomitavam nas embarcações. Pragas, como o piolho, tomavam conta de quem estava a bordo.

Enfim, em 22 de janeiro de 1808, todos desembarcaram em Salvador, na Bahia. No dia 28 do mesmo mês, dom João VI autorizou o comércio com as nações amigas de Portugal e o Brasil começou a fazer negócios com a Inglaterra — tudo o Napoleão Bonaparte não queria, pois tinha decretado o Bloqueio Continental, que proibia qualquer tipo de comércio com os ingleses.

Depois disso, Brasil e Portugal formaram um único reino. Então, o Brasil deixou de ser colônia e o Rio de Janeiro virou a capital do império português.

Ao colocarem os pés em nosso país, as mulheres que estavam a bordo, inclusive Carlota Joaquina, esposa de dom João VI, usavam um turbante na cabeça. As brasileiras pensaram que era moda na Europa e quiseram usar panos também. O que elas não sabiam é que, durante a viagem, os piolhos obrigaram essas mulheres a raspar a cabeça, e elas preferiram usar turbantes!

Foi só em 7 de março de 1808 que o rei chegou com a comitiva de viagem ao Rio de Janeiro. Cerca de 2 mil casas tiveram que ser deixadas pelos moradores para abrigar os portugueses. A mudança da corte para o Rio fez com que a cidade mudasse: dom João VI mandou limpar as ruas, pintar fachadas de prédios e colocou ordem na região. A população cresceu e a economia também — foi criado o Banco do Brasil, o primeiro banco do país, ainda em 1808.

Depois que o rei português abriu os portos para os ingleses, eles podiam entrar e sair do Brasil quando quisessem e explorar alguns produtos, como a madeira — derrubavam árvores das florestas para construir navios, por exemplo.

As tropas de Napoleão ficaram poucos meses em Portugal. Mas foi só em 1821 que dom João VI retornou ao país. Com a morte de Maria I, em 1817, ele se tornou rei do Brasil e de Portugal. Isso não era permitido, e a população portuguesa fazia pressão para que ele voltasse. Foi aí que ele deixou o filho dom Pedro I como príncipe regente do Brasil — ele declararia a independência do país em 1822.