Recreio
Viva a História / Dinossauros

Duelos entre dinos: Qual era o dinossauro mais forte?

Será que o Triceratops venceria o T-Rex? E quem se sairia melhor na disputa entre Velociraptor e Protoceratops? Imaginamos como seriam esses encontros jurássicos e revelamos os detalhes para você!

Bruna Cardoso Publicado em 13/03/2022, às 08h00

Imagem ilustrativa de dinossauros - Pixabay
Imagem ilustrativa de dinossauros - Pixabay

Triceratops X T-Rex

O tiranossauro rex morderia o corpo do triceratops, usando os dentes fortes e afiados — ele alimentava-se de outros dinos. Já o triceratops tentaria desviar das mordidas e usaria os chifres para perfurar o inimigo — herbívoro, ele não mordia em combate. No final, o comprimento (14 metros do T-rex contra 9 metros do triceratops) e a força do tiranossauro o fariam vencedor.

Protoceratops X Velociraptor

A força do protoceratops não seria problema para o velociraptor, que era ágil e tinha ótima visão. O protoceratops tentaria derrubar o adversário, usando a estrutura óssea que ficava ao redor do pescoço — essa seria a principal arma dele para suportar as investidas inimigas. Mesmo assim, o velociraptor levaria a melhor ao usar as garras fortes, em formato de foice, para perfurar o oponente em partes do corpo desprotegidas.

Albertossauro X Edmontossauro

Ao ser atacado, a primeira reação do edmontossauro seria correr — ele só pararia ao sentir que não havia mais como escapar. Enquanto isso, o albertossauro, capaz de atingir até 57 quilômetros por hora de velocidade, não se cansaria facilmente. Só que, ao final da corrida, ele encontraria um oponente bem difícil: depois de derrubar o albertossauro, usando o rabo de 7 metros de comprimento, o edmontossauro continuaria atingindo todas as partes acessíveis do corpo do inimigo.

Estiracossauro X Espinossauro

O chifre nasal (com cerca de 60 centímetros) do estiracossauro era a principal arma dele contra outros dinos. Por outro lado, o espinossauro era um ótimo nadador e tinha mandíbula forte, com dentes retos, compridos e afiados, que causavam muita dor. Em um duelo entre os dois, o espinossauro não ficaria parado, observando o outro tentando perfurálo com o chifre: ele logo abocanharia qualquer parte exposta do estiracossauro. E devoraria o oponente!

Ceratossauro X Camarassauro

É bem provável que o ceratossauro macho usasse uma das principais armas dele contra o camarassauro: um chifre ósseo no focinho, além de uma crista óssea acima de cada olho. A intenção seria machucar o adversário.M as não demoraria para que o camarassauro se erguesse sobre as pernas traseiras (atingindo 10 metros de altura) e usasse o longo rabo como chicote, alcançando a vitória.

Dilofossauro X Estrutiomimo

As duas cristas em cima do crânio do dilofossauro seriam usadas na batalha para assustar o estrutiomimo. Se não conseguisse, ele apelaria para as mordidas. O estrutiomimo fugiria usando a velocidade (que pode ser comparada à do avestruz moderno). O oponente não teria fôlego para acompanhar as passadas e desistiria rápido da briga.

Paquicefalossauro X Anquilossauro

O paquicefalossauro faria investidas usando a cabeça (com espessura de 25 centímetros) e o focinho (coberto por ferrões ósseos). Já o anquilossauro tinha o corpo protegido por placas ósseas — serviam como armadura. A única parte vulnerável era a barriga. Apesar disso, ele contava com um osso duro preso à cauda, útil para dar golpes. Sem conseguir deixar o inimigo de barriga para cima, o paquicefalossauro abandonaria a luta.

Estegossauro X Diplódoco

As placas protetoras nas costas e no pescoço do estegossauro parecem uma grande ameaça para os inimigos, mas o diplódoco não ficaria com medo da aparência feroz. Na verdade, as placas faziam a regulação da temperatura corporal do estegossauro e, mesmo se fossem usadas em um duelo, não seriam tão fortes. Por outro lado, ele tinha espigões na cauda, perigosos para qualquer um. O diplódoco também usava o rabo como principal arma, além de uma grande unha em cada pata dianteira — e ainda era maior! Resultado: vitória para ele!

Não esqueça!

A colisão de um asteroide com a Terra, há milhões de anos, causou o sumiço da maioria dos dinossauros — as aves são os dinos que sobreviveram a esse evento. O corpo celeste bateu no nosso planeta e lançou uma nuvem de poeira que bloqueou a luz solar, eliminando a vegetação e extinguindo parte dos dinos.