Recreio
Viva a História / Dinossauros

Dos mais terríveis aos mais velozes: 10 fatos curiosos sobre os dinossauros

A ciência sobre estes animais vai muito além do que você aprendeu nos filmes de Hollywood

Everton Fernando Alves Publicado em 14/10/2020, às 18h52 - Atualizado às 19h01

Cena do filme Jurassic World: Reino Ameaçado (2018) - Divulgação/Universal Pictures
Cena do filme Jurassic World: Reino Ameaçado (2018) - Divulgação/Universal Pictures

Durante a minha jornada como divulgador de ciência, tenho me surpreendido com o fato de as pessoas se interessarem pela história dos dinossauros, mas desconhecerem conteúdos básicos sobre o tema, como o surgimento, a adaptação e a extinção desses animais. Se você assistiu às trilogias Jurassic Park e Jurassic World, da franquia Universal Pictures, por exemplo, talvez não saiba, mas quase tudo que há nelas, desde o primeiro filme, lançado em 1993, é pura ficção. Ou seja, não é real.

No filme, o tiranossauro rex (T. rex), por exemplo, era muito veloz e corria furiosamente atrás de um carro. Seria, de fato, o T. rex um dos dinos mais velozes? Na época da série, esse famoso espécime era considerado um dos mais temíveis dinossauros da História. Mas o que o atual conhecimento científico nos diz? Será que ele foi mesmo o maior carnívoro que já existiu?

A obra recém-lançada Curiosidades sobre os Dinossauros, apresenta 30 fatos que Hollywood não mostrou. Confira dez a seguir.

1. Quais foram os primeiros dinossauros?

A maioria dos cientistas crê que os ancestrais dos dinossauros representavam um grupo de répteis não dinossaurianos chamados de arcossauros, que evoluíram durante o Triássico médio, dando origem, então, aos dinossauros. Os primeiros, portanto, teriam surgido há cerca de 233 milhões de anos.

O mais famoso de todos e talvez um dos mais antigos dinossauros conhecidos é o estauricossauro (Staurikosaurus pricei), um pequeno terópode em formação – que chamamos de saurísquio basal –, carnívoro e semibípede que teria vivido, segundo a cronologia-padrão, entre 231-225 milhões de anos atrás no Brasil e foi encontrado no Rio Grande do Sul.

Além desse, outros dinos terópodes gaúchos se destacam, tais como o Nhandumirim waldsangae (233 m.a.) e o mais recente descoberto Gnathovorax cabreirai (230 m.a.). Outros exemplos incluem o eoraptor (Eoraptor lunensis), uma espécie de dinossauro carnívoro e bípede que viveu entre 230-225 milhões de anos atrás na Argentina. O último de nossos exemplos mais antigos é o herrerassauro (Herrerasaurus ischigualastensis), um saurísquio basal carnívoro e bípede que viveu há 231 milhões de anos também na Argentina. Ao que tudo indica, a América do Sul foi o berço dos primeiros dinossauros durante o Triássico.

2. Quantos dinossauros existiam?

O mundo perdido dos dinossauros era amplo e diverso. Os dinossauros, ao que tudo indica, eram coloridos, belos, dinâmicos e plurais assim como todas as espécies em nosso planeta. Evidências mostram que já foram descritos cientificamente mais de 500 gêneros de dinossauros, embora as estimativas de gêneros sejam mais de 1.500 para todo o Mesozoico ao levar em conta que 71% dos gêneros de dinossauros permanecem desconhecidos.

Quanto às espécies, as estimativas são de cerca de 2 mil, apesar de algumas terem sido erroneamente classificadas. No livro Ascensão e Queda dos Dinossauros, o paleontólogo Dr. Steve Brusatte diz que “em algum lugar do mundo, uma nova espécie de dinossauro acabou de ser encontrada, o que acontece, em média, uma vez por semana ou 50 novas espécies por ano”.

Porém, como afirma o paleontólogo brasileiro Luiz E. Anelli, esses números são controversos “em virtude das incertezas das identificações. Isso se deve principalmente a dois fatores: muitos restos de esqueletos incompletos tidos como pertencentes a dinossauros podem, na verdade, tratar-se de restos de outros animais aparentados; além disso, muitos restos atribuídos a dinossauros de espécies distintas podem constituir partes diferentes de uma mesma espécie, os chamados ‘sinônimos’.”.

3. Qual era o tamanho dos dinossauros?

Os dinos têm sido apresentados em desenhos, séries e filmes como sendo criaturas enormes, gigantescas. Mas eles eram realmente grandes? O que os cientistas descobriram? Bem, sinto em informar, mas os dinossauros eram pequenos. Uma pesquisa científica recente mostrou que a maioria dos dinossauros era pequena. Como afirma Dr. Paul Barrett, paleontólogo do Museu de História Natural de Londres, em entrevista à BBC, “nem todos eram enormes, apenas um pequeno número chegou a proporções gigantescas”.

Portanto, o que você vê em exposição nos museus são apenas amostras daquele pequeno percentual de dinos que eram grandes. Sim, alguns eram grandes, mas eles são a exceção, e não a regra. Ah! O velocirraptor, que nos filmes Jurassic Park e Jurassic World é apresentado como sendo do tamanho de um homem adulto de 1,80 m, é pura ficção!

Aquele dinossauro do filme, na verdade, seria ou o deinonico ou um utahraptor, carnívoros bípedes da mesma família do velocirraptor, porém bem maior que ele. O velocirraptor tinha um pequeno tamanho de 50-70 centímetros de altura. E outra curiosidade é que parece que ele não era um predador, mas sim um carniceiro, isto é, se alimentava de animais que já estavam mortos.

4. Qual foi o dinossauro mais veloz?

O velocirraptor é apresentado nas trilogias Jurassic Park e Jurassic World como sendo muito alto, como vimos na pergunta anterior, e bem veloz. Porém, assim como muitos outros detalhes do filme, isso não é verdade. Devido ao longa-metragem, ao significado do seu nome e às primeiras descrições desse dino, muita gente ainda hoje acha que o velocirraptor foi o dinossauro mais veloz que pisou neste planeta durante o reinado desses poderosos répteis.

Hoje há certo consenso de que, na realidade, movendo-se ereto em duas pernas, o velocirraptor poderia correr 39 km/h. Porém, outra pesquisa associou o comprimento da perna à habilidade de corrida em dinossauros carnívoros bípedes e descobriu uma velocidade ainda menor para o velocirraptor, uma vez que ele e seus parentes próximos foram considerados os menos adaptados para a corrida rápida.

Segundo estudo baseado em um modelo computacional de biomecânica desenvolvido pela Universidade de Manchester (Reino Unido), o dinossauro mais veloz de todos foi o compsognato, um réptil do tamanho de um gato que podia atingir velocidades de até 64 km/h. O mesmo estudo ainda descobriu que o velocirraptor podia correr até 39 km/h; o dilofossauro, 38 km/h; o alossauro, 34 km/h; e o T. rex, até 29 km/h. Uma pesquisa anterior encontrou outras velocidades para os seguintes dinossauros: alossauro, cerca de 34 km/h; T. rex. aproximadamente 30 km/h; tricerátopo, cerca de 26 km/h; e braquiossauro, 18 km/h.

5. O que os dinossauros comiam?

Novas evidências científicas têm mostrado que até o grupo de supostos carnívoros talvez fossem herbívoros. Ao analisar o cocô fossilizado de dinossauros, cujo nome científico é “coprólito”, o estudo demonstrou que a dieta da maior parte dos terópodes, com exceção do tiranossauro rex e do velocirraptor, era possivelmente composta de plantas. É claro que existem outros dinos terópodes carnívoros que essa pesquisa não avaliou, tais como o giganotossauro, o espinossauro e o compsognato.

Neste último, inclusive, cientistas encontraram um pássaro em seu estômago. Porém, desde 2007 o paleontólogo australiano Dr. John Albert Long já havia comentado em seu livro Dinossauros que, “assim como em toda cadeia alimentar, a maioria dos dinossauros comia plantas, e não carne. Dos fósseis encontrados, cerca de 65% são de herbívoros.

Se nós pudéssemos identificar e descrever todo tipo de dinossauro que já existiu, a proporção de herbívoros seria ainda muito maior”. Por sua vez, com dados mais recentes em mãos, o paleontólogo Dr. Reinaldo Bertini, da Unesp de Rio Claro (SP), afirmou que “a maior parte dos dinossauros que habitavam a Terra até o fim do período Cretáceo, 65 milhões de anos atrás, tinha uma dieta vegetariana – a proporção era de nove herbívoros para cada carnívoro”. Como pôde ser visto, a associação mental “dinossauros e carnivorismo” é apenas mais uma ideia equivocada.

++Confira as outras curiosidades no site Aventuras na História, parceiro da Revista Recreio.