Recreio
Viva a História / Viva a História

5 lendas envolvendo dragões que você precisa conhecer

Saiba mais sobre algumas histórias envolvendo estes seres místicos presentes no folclore mundial

Marcelo Testoni Publicado em 06/08/2021, às 15h21 - Atualizado às 15h49

Imagem promocional de Como Treinar o seu Dragão - Divulgação/Paramount Pictures
Imagem promocional de Como Treinar o seu Dragão - Divulgação/Paramount Pictures

Dragões são uma estranha coincidência do folclore mundial. Povos separados por continentes parecem ter chegado independentemente à ideia de um réptil gigante, voador e capaz de falar. Seria pura coincidência?

A tese mais comum é que os fósseis de dinossauros tenham sido a inspiração. Há 40 mil anos, as sociedades primitivas já topavam com eles. Mas talvez a fonte seja bem mais familiar: existe uma igreja na Polônia, em Cracóvia, com os “ossos do dragão Wawel”. Visivelmente, são costelas de baleia.

Mas Cracóvia fica a centenas de quilômetros do mar. Para eles, esses ossos, provavelmente trazidos por viajantes do litoral, eram tão exóticos quanto os dos dinossauros.

A palavra dragão vem do grego drakón ("serpente"). E como o nome de uma criatura comum foi parar num monstro talvez também tenha a ver com as baleias. Vistas por cima dos navios, elas podem parecer serpentes monstruosas. As lendas de serpentes marinhas, transplantadas para a terra, se tornaram os dragões.

Confira algumas das criaturas lendárias.

1. Tialong (207 a.C)

Long é “dragão” em chinês, e tian, “celestial”. Dragões chineses são criaturas esguias e que se movem como serpentes pelo ar, flutuando, sem asas. Este dragão em particular teria sido avistado pelos sacerdotes antigos puxando a carruagem dos deuses, perto das estrelas. Um guia dos antepassados reais que se manifestava sob a forma de uma serpente flutuante, em espiral e com quatro patas. Entre suas atribuições, a principal seria a de proteger a dinastia imperial. Nem todo dragão chinês é benévolo: o rei-dragão Ao Kuang causava todo o tipo de desastre e exigia sacrifícios humanos.


2. Zmey Gorynych (C. 1100)

De acordo com a mitologia eslava, zmeys eram seres semelhantes à hidra grega, com três cabeças, mas com poderes para voar, cuspir fogo e assumir a forma humana. O mais famoso dessa linhagem era o Gorynych, que foi morto pelo herói russo Dobrynya Nikitich após ter raptado uma nobre donzela. Na Sérvia, fugindo ao padrão europeu, os zmeys eram bons e afastavam as tempestades.


3. Ladon (700 A.C.)

Segundo o poeta grego Hesíodo, o réptil de 100 cabeças guardava o pomar de maçãs de ouro da deusa Hera. Ele tinha olhos de fogo e cada cabeça sua falava uma língua diferente. Em uma das versões da lenda de Hércules, foi morto pelo herói no trabalho de
roubar as maçãs. Incorporado à cultura romana, inspirou estandartes militares e a lenda da constelação de Draco.


4. Coca (C. 1200)

O dragão lendário combatido por São Jorge. Para os portugueses, um monstro com uma
longa e retorcida cauda, que habitava o Rio Minho. Já a versão dos espanhóis voava sobre o mar e devorava aldeões. Ainda hoje, na Festa da Coca, em Monção, Portugal, uma versão mecânica é “morta” por um cavaleiro fazendo as vezes do santo. É a origem da Cuca, outra pronúncia de seu nome – Monteiro Lobato fez do dragão um jacaré para abrasileirar.

++Veja mais lendas através da matéria completa do site Aventuras na História, parceiro da Revista Recreio.