Recreio
Viva a História / Invenções

Quem inventou os mapas?

Ao longo dos anos, estes importantes itens de localização já foram feitos de papel, argila, pele de animais, e até mesmo madeira

Letícia Yazbek Publicado em 02/07/2021, às 10h00 - Atualizado às 10h42

Imagem ilustrativa de mapas - Pixabay
Imagem ilustrativa de mapas - Pixabay

Mapas são representações visuais (e bidimensionais) de uma determinada região. Eles podem retratar elementos como mares, rios, lagos, montanhas, fronteiras e construções importantes. Por meio dos mapas, povos da Antiguidade já se orientavam e conheciam melhor a área que habitavam.

Além de servir para a orientação e localização, os mapas têm importante função social. Eles representam a cultura e a visão de mundo de cada povo. E ainda foram fundamentais para a expansão das civilizações — ajudaram na definição de estratégias e na conquista de outros povos.

Os pesquisadores não sabem ao certo quando o primeiro mapa surgiu. Isso porque esse tipo de documento foi usado por várias civilizações da Antiguidade. Já existia, por exemplo, na Grécia antiga e no Império Romano — além de estar presente em outras culturas antigas, como a mesopotâmica, a asteca, a chinesa e a esquimó.

Um dos mapas conhecidos mais antigos é o de Ga-Sur, feito pelos babilônios (povo que habitou a Mesopotâmia) por volta de 2400 antes de Cristo. Era uma placa de argila cozida e representava duas cadeias de montanhas, além do rio Eufrates (na Ásia).

Os primeiros mapas eram feitos de madeira ou argila (esculpidos ou pintados) — também podiam ser desenhados sobre a pele de animais ou paredes rochosas. Com a invenção do papel, por volta do ano 100, eles passaram a se feitos em folhas de papel (obtidas, no começo, a partir de plantas).

O cientista grego Ptolomeu, que viveu entre os anos 100 e 168, foi um dos principais nomes da cartografia (ciência que estuda e faz mapas). Ele produziu uma obra completa sobre Geografia, em oito volumes, em que apresentou sistemas de coordenadas e descreveu mais de 8 mil lugares!

A partir das Grandes Navegações, entre os séculos 15 e 16, os mapas começaram a ser produzidos em maior quantidade. Naquela época, os europeus (principalmente portugueses e espanhóis) estavam explorando os oceanos em busca de novas terras. Assim, as áreas representadas nos mapas passaram a ser bem maiores. Além disso, havia a necessidade de produzir mapas mais precisos para garantir a segurança na navegação. Nas expedições, sempre havia um cartógrafo, responsável por registrar e divulgar as descobertas de novos territórios.

Hoje, temos acesso a mapas de todo o mundo em nossos smartphones e computadores. Além disso, contamos com a ajuda do o GPS, Global Positioning System ou Sistema de Posicionamento Global, criado na década de 1960. Esse sistema funciona por meio de satélites que orbitam a Terra e localizam qualquer ponto na superfície do planeta — além de memoriza rotas, indicar hora e velocidade do deslocamento! Ficou tudo bem mais fácil!