Recreio

WuShu: Conheça a origem das artes marciais

Saiba mais sobre a história por trás do caratê, kung fu, judô e outras lutas praticadas ao redor do mundo

Lucas Vasconcellos Publicado em 22/10/2021, às 11h00 - Atualizado em 23/10/2021, às 17h37

Pessoas praticando karatê na praia - Pixabay
Pessoas praticando karatê na praia - Pixabay

A expressão artes marciais é usada para se referir a lutas que surgiram na parte oriental do planeta, em países como Japão e China. Por lá, elas são as chamadas de WuShu (palavra chinesa, que significa arte de guerra). Elas surgiram como forma de defesa. O termo arte marcial surgiu na Roma antiga e está ligado a Marte, deus da guerra.

É difícil saber quando as lutas chamadas de artes marciais surgiram. Elas foram criadas ao longo do tempo, conforme a evolução da sociedade e as necessidades de defesa que o ser humano passou a ter. O que se sabe é que, cerca de 5 milhões de anos atrás, quando nosso ancestrais começaram a se defender de perigos e a usar ferramentas (pedaço de pau ou pedra), teve início a arte de combate.

Mistura de culturas

O tempo fez com que cada civilização antiga, como gregos, africanos e maias, desenvolvessem as próprias formas de defesa – o arco e flecha, por exemplo, surgiu entre os índios da América. Esses métodos foram sendo aperfeiçoados e passados para outras gerações. Mas a origem do que conhecemos hoje como artes marciais está na China.

Quando o ser humano começou a transitar por diversos territórios do planeta, por volta de 7 mil anos atrás, a luta chinesa ganhou uma filosofia. Conta-se o seguinte: na Índia, um chinês conheceu o budismo (filosofia e religião) e a prática da meditação. Ele reparou que, durante a meditação, monges acabavam cochilando por não terem muita preparação física. De volta à China, esse homem misturou a técnica da meditação com a força obtida em combate (até então, usada em guerras).

Apesar de as artes marciais terem surgido em situações de combate, a prática não se trata apenas de aprender a lutar. O que se aprende também inclui: a busca pela harmonia, paz e não violência entre pessoas, além de servir de base para uma vida melhor em sociedade (com ideias como respeitar os mais velhos). E tem mais: ao canalizar sua energia na prática esportiva, você se torna mais tranquilo e ganha confiança para encarar os desafios do dia a dia.

Qual veio primeiro?

Na linha do tempo das artes marciais mais famosas, o Kung Fu foi a que deu origem às outras: foi criado na China há cerca de 7 mil anos, lá na época em que um chinês foi visita a Índia! Depois vieram outras, como judô e caratê (surgiram no Japão) e taekwondo (apareceu na Coreia – na época, um território único: a divisão entre Coreia do Sul e Coreia do Norte só aconteceu após a Segunda Guerra Mundial, que terminou em 1945).

O Kung Fu recebeu esse nome no ocidente por uma falha de comunicação. Pessoas do mundo ocidental, ao tentarem entender o que eram os movimentos praticados pelos chineses, acabaram recebendo a explicação do que é o termo kung fu para os chineses: ele é usado para se referir a pessoas que executam bem uma atividade. Foi assim que os movimentos receberam o nome de Kung Fu.

Bom para você!

Um dos principais benefícios para o corpo que as artes marciais trazem é o treino da respiração. Mas essa prática vai muito além: exige concentração (para não ser atingido de surpresa pelo adversário, por exemplo), trabalha a coordenação motora (você deve aprender a usar pernas e braços no momento certo) e melhora o raciocínio (é preciso criar estratégias para vencer uma luta).

Consultoria: Luis Melo (mestre em Kung Fu do Instituto Lohan – institutolohan.com.br)