Recreio
Facebook RecreioTwitter RecreioInstagram Recreio
Viva a História / Curiosidades

Como as festas juninas surgiram?

Descubra a história por trás de uma das festas populares brasileiras mais amadas pelo povo

Redação Publicado em 24/06/2021, às 18h51 - Atualizado em 04/06/2022, às 09h00

Imagem ilustrativa de uma mulher com trajes típicos de festa junina - Pixabay
Imagem ilustrativa de uma mulher com trajes típicos de festa junina - Pixabay

As festas juninas são algumas das celebrações mais tradicionais do nosso país. Sendo comemorada principalmente durante o mês de junho, a festividade é tão popular que, em alguns lugares, a farra continua por mais alguns dias mesmo com o término do mês. Para os católicos, também são celebrados três santos durante as festas: São João, Santo Antônio e São Pedro. Mas, como surgiu essa comemoração tão amada pelos brasileiros?

Os arraiás são uma grande união de tradições europeias e indígenas, que se fundiram com o passar dos anos após a colonização. Na Idade Média, países do Hemisfério Norte realizavam festas para comemorar o solstício de verão — fenômeno que causa o dia mais longo do ano — com o intuito de homenagear os deuses da natureza e fertilidade, pedindo para que lhes abençoassem com uma farta colheita.

Nestas celebrações, era muito comum que existissem fogueiras para a proteção contra maus espíritos. Naquela época, a igreja não conseguia acabar com essas festividades que eram tão populares entre a sociedade, e decidiu aproveitá-las atribuindo comemorações a alguns santos nos dias em que as festas ocorriam. Foi assim que surgiram os conhecidos dias de São João, Santo Antônio e São Pedro.

De acordo com o portal Super Interessante, as festas do mês de junho também já costumavam a acontecer no Brasil. Por aqui, os índios celebravam a agricultura através de comida, dança e muito canto. Após a chegada dos portugueses e a cristianização dos povos nativos, tudo se uniu. Além disso, a influência de outros países que também vieram para cá acabou ficando marcada em nossas festas.

A quadrilha, por exemplo, é inspirada nas tradicionais danças de salão da França. Já os fogos de artifício vêm da China, enquanto as danças de fita são baseadas em tradições de países como Portugal e Espanha. As comidas, provavelmente, são a maior prova desta mistura. Segundo a revista Crescer, sua principal base é a culinária indígena, que utilizava muito milho, batata-doce, amendoim e mandioca.

No entanto, a mesma também acabou pegando algumas referências de africanos, italianos e portugueses. Foi assim que comidas como a pipoca, o bolo de fubá, o pé-de-moleque e o famoso quentão acabaram sendo adicionados ao nosso cardápio.