Recreio
Tecnologia / Internet

Como era a comunicação antes das redes sociais?

Antes de existir o Twitter, Facebook, Instagram e WhatsApp a nossa vida era bem diferente. Descubra!

Letícia Yazbek Publicado em 26/02/2021, às 11h00 - Atualizado às 15h19

Imagem ilustrativa de um celular com redes sociais - Pixabay
Imagem ilustrativa de um celular com redes sociais - Pixabay

Antes do surgimento da internet — criada em 1969, nos Estados Unidos, e trazida ao Brasil em 1988 —, o telefone, a carta e o telegrama eram os métodos utilizados para entrar em contato com amigos e familiares. Sem as redes sociais, ninguém tinha a vida tão exposta quanto hoje, por isso as novidades podiam demorar para chegar. Manter amizades era uma tarefa que requeria muito mais tempo e esforço.

Hoje disseminadas em massa pelas redes, junto a milhares de fake news, as notícias eram veiculadas principalmente pelos meios de comunicação tradicionais — jornais, revistas e emissoras de televisão —, que gozavam de maior credibilidade.

Quando a internet ainda dava os primeiros passos, em 1972, surgiu o BBS (bulletin board system). O sistema permitia a conexão entre um computador e a central, equivalente hoje a um provedor de internet. Assim, era possível enviar e receber softwares e dados, ler notícias e trocar mensagens com outros usuários. Os BBS funcionavam por telefone e, para garantir a qualidade da conexão, eram usados geralmente entre moradores de uma mesma cidade.

Nos anos 1990, a popularização da internet proporcionou o surgimento de espaços virtuais para a interação e comunicação entre as pessoas. Com o e-mail, tornou-se possível conversar de forma prática e rápida com qualquer pessoa que também tivesse um endereço eletrônico, mesmo que ela estivesse a milhares de quilômetros de distância. Fóruns de discussão promoviam debates sobre diversos assuntos, sem que os membros precisassem se encontrar na vida real.

Sites e blogs passaram a disputar com a televisão o título de meio de comunicação mais utilizado. Pela primeira vez, as pessoas se viam diante de uma grande variedade de informações, que podiam ser acessadas a qualquer momento.

Além disso, qualquer usuário podia criar seu próprio site para compartilhar dados pessoais ou profissionais com os amigos, que interagiam com comentários e mensagens de modo semelhante com o qual utilizamos as redes sociais.

Mas as primeiras redes não demoraram a surgir. Em 1995, o americano Randy Conrads criou o ClassMates, site que reunia pessoas que haviam estudado juntas na escola ou na faculdade. Mesmo sendo pago, o serviço fez sucesso entre os usuários dos Estados Unidos e Canadá. Na mesma época, foram criados os primeiros programas de mensagens instantâneas, como o ICQ (1996) e o MSN (1999).

Nos anos 2000, foram criadas redes sociais como o LinkedIn (2002), Friendster (2002) e Myspace (2003). Logo em seguida vieram o Facebook (2004) e o Twitter (2006), que se tornaram grandes fenômenos da internet.

A partir de 2006, a evolução das conexões de telefonia celular permitiu a transmissão de dados a longa distância e a altas velocidades. Essa tecnologia revolucionou o modo como nos conectamos com o mundo. Redes sociais que já eram populares na internet invadiram os aparelhos móveis e se fizeram onipresentes, atuando em diferentes esferas da vida social.