Recreio
Tecnologia / Curiosidades

5 curiosidades sobre os semáforos que você provavelmente não sabia

Ele é essencial para carros, motociclistas, ciclistas e pedestres. E ainda tem muita história para contar!

Letícia Yazbek Publicado em 04/06/2021, às 12h29 - Atualizado às 12h30

Imagem ilustrativa de semáforos - Pixabay
Imagem ilustrativa de semáforos - Pixabay

O semáforo foi criado em 1868, pelo engenheiro John Peake Knight, para controlar o tráfego das carruagens e pedestres que circulavam em Londres (Inglaterra). Era formado por duas lâmpadas de gás que acendiam duas luzes, uma vermelha e outra verde. 

Evolução!

Em 1912, o norte-americano Lester Wire criou o semáforo elétrico, feito com uma caixa de madeira e lâmpadas pintadas de verde e vermelho. A luz amarela veio em 1917. Hoje, os semáforos são formados por três lâmpadas cobertas por lentes nas cores verde, amarela e vermelha. Elas são especiais para que durem mais. Os modelos mais modernos trazem um conjunto de lâmpadas bem pequenas de LED para cada cor.

Como funciona?

As mudanças de cor no tempo certo acontecem graças a um dispositivo chamado controlador de tráfego. Ele fica dentro de uma caixa metálica, fixada na coluna de sustentação do semáforo. O controlador conduz energia elétrica para acender o semáforo e regular as lâmpadas, acendendo e apagando cada uma no momento correto.

Cores de alerta

O verde, amarelo e vermelho dos semáforos são uma padronização internacional. A escolha tem a ver com a percepção que temos das cores: o vermelho costuma ser ligado ao perigo e o verde à tranquilidade. Já o amarelo, sinal de atenção, é a cor intermediária entre o vermelho e o verde. Além disso, as cores dos semáforos precisam ser bem diferentes umas das outras. Já pensou se fossem azul, roxo e marrom? As pessoas se confundiriam com mais facilidade.

Em par

Repare bem: a maioria dos cruzamentos conta com dois conjuntos de semáforos. Assim, se uma lâmpada de um dos conjuntos queimar, a outra continuará funcionado. A tática evita acidentes e congestionamentos. Além disso, alguns semáforos são equipados com um aparelho chamado no-break, que mantém as lâmpadas funcionando por até 2 horas em caso de falta de luz.

A pé!

Para os pedestres, o semáforo tem algumas diferenças. Quando fica verde, indica que é seguro atravessar. Mas, no instante em que se torna vermelho piscante, significa que o tempo para atravessar está acabando. Se você ainda não tiver iniciado a travessia, espere pelo próximo semáforo verde. O tempo para pedestres varia conforme a largura da rua: uma pessoa costuma percorrer 1 metro em até 12 segundos.