Recreio
Planetário / Planetas

Desvende os mistérios do planeta Saturno

Dono do maior conjunto de anéis do sistema solar, esse planeta tem uma lua onde chove metano!

Redação Publicado em 08/04/2020, às 13h30 - Atualizado às 13h34

Saturno - Pixabay
Saturno - Pixabay

Saturno é observado ao menos desde o século 7 antes de Cristo, por astrônomos que viviam na Mesopotâmia (atual região do Iraque). Em 1610, o italiano Galileu Galilei identificou, por meio de um telescópio, duas estruturas ao lado do planeta. Ele disse que a descoberta se parecia com orelhas! Cerca de 50 anos mais tarde, o astrônomo holandês Christiaan Huygens revelou que as estruturas eram, na verdade, anéis. Ele também descobriu o satélite natural Titã.

Frio e gasoso

Comparado com a Terra, Saturno é gelado: a temperatura média por lá fica em torno de 140 graus Celsius negativos. Ele é um planeta gasoso, assim como Júpiter – ou seja, não tem superfície rochosa. A atmosfera é composta, principalmente, pelos gases hélio e hidrogênio, além de pouca quantidade de vapor de água, metano e etano. O interior do planeta é formado, provavelmente, por gelo e um núcleo rochoso – os dois devem estar envolvidos por uma camada de hidrogênio metálico.

Em 1979, a sonda Pioneer 11 foi a primeira a se aproximar de Saturno. Ela tirou fotografias, descobriu luas menores e mapeou o campo magnético do planeta. Em 1980, as sondas Voyager 1 e Voyager 2 passaram próximas ao planeta e estudaram vários satélites. Em 2004, a Cassini entrou na órbita de Saturno e, 1 ano depois, pousou na lua Titã. Ela enviou diversas imagens e continua fazendo observações importantes sobre as luas e anéis.

Chuva de metano

Existem ao menos 62 satélites naturais em Saturno. O maior deles é Titã: a segunda maior lua do sistema solar tem diâmetro de 5.151 quilômetros. A atmosfera em Titã é densa, composta de metano e carbono, além de ter superfície rochosa. Esse satélite também possui lagos e rios de etano e metano. Acredita-se que o metano se comporte como a água na Terra, evaporando e caindo em forma de chuva. Outras luas importantes são Encélado, Mimas e Tétis.

Saturno leva cerca de 10,5 horas terrestres para completar uma volta em torno de si mesmo (movimento de rotação). Essa é a duração do dia por lá. Já uma volta em torno do Sol (movimento de translação) é bem mais demorada: leva cerca de 30 anos terrestres para acontecer.