Recreio
Pets / Alimentação

Quando podemos oferecer petiscos aos nossos pets?

Os petiscos são ótimas opções para agradar o seu animalzinho ou até mesmo recompensá-lo, mas com moderação. Entenda!

Bruna Cardoso Publicado em 21/08/2020, às 14h30 - Atualizado às 16h33

Imagem ilustrativa de um cachorro com um osso - Pixabay
Imagem ilustrativa de um cachorro com um osso - Pixabay

Petiscos não devem interferir na alimentação diária com pets – que é a ração indicada pelo veterinário. Por isso, só podem ser oferecidos como prêmio por um comportamento educado ou como agrado (sempre em quantidades pequenas).

Versões industrializadas de petiscos que tenham boa qualidade não trazem restrições. Cães gostam mais dos de carne, presunto, salsicha e frutas (como maçã). Já os gatos preferem lanchinhos nos sabores carne e peixe. Mas sempre consulte um veterinário para saber quais opções são mais adequadas para o seu pet.

Esses lanchinhos comprados em lojas especializadas devem conter baixas quantidades de sal e de gordura – fique de olho nas embalagens! É importante evitar ossos crus, doces e frutas ácidas, como limão, laranja e abacaxi.

Melhores momentos

A recompensa ou agrado pode ser oferecido de duas a três vezes por semana, sempre tomando cuidado para que a dieta do pet não seja influenciada. Evite dar petiscos fora de hora. Por exemplo: se a ideia é treinar algum tipo de comportamento no animal, dê o petisco antes da refeição, quando ele estará com fome.

Pets em adestramento são os únicos que devem comer mais petiscos do que o normal – eles servem como recompensa na educação dos bichinhos.

Consultoria: Guilherme Soares (médico veterinário) e Jonas Bys (biólogo especialista em Comportamento Animal)