Recreio
Natureza / Natureza

Conheça os tipos, as características e os nomes das plantas aquáticas

Algumas plantas são diferentes: vivem apenas onde existe muita água!

Lucas Vasconcellos Publicado em 23/03/2022, às 18h00

Vitória Régia - Wikimedia Commons
Vitória Régia - Wikimedia Commons

Quem são elas?

As plantas aquáticas costumam ter porte pequeno e são classificadas em cinco grupos: flutuantes, submersas, submersas de folhas emersas, palustres (ficam em locais encharcados) e marginais (vivem em regiões rasas, mas com raízes e par te do caule com folhas submersas). Para flutuar em águas doces, elas contam com reservatórios de ar nos tecidos.

Salvinia

Salvinia
Salvinia. Crédito/ Divulgação/ Wikimedia Commons

Do tipo flutuante, é encontrada em diversos locais, como nas Américas, Ásia e Europa. Chega a medir 15 centímetros de altura e é bastante usada em aquários, pois se dá muito bem em fontes pequenas e lagos. Esse vegetal ainda é despoluidor: para crescer, retira os nutrientes que ficam no meio aquático, o que elimina a sujeira.


Vitória-régia

Vitória-régia
Vitória-régia. Crédito/ Divulgação/ Wikimedia Commons

Planta gigante, nativa da Amazônia, pode alcançar 2,5 metros de diâmetro. A superfície da folha possui uma rede de canais para escoamento de água, o que ajuda na capacidade de flutuar (até quando chove!). As flores surgem no verão, são grandes e duram apenas 48 horas: no primeiro dia são brancas e no dia seguinte, por causa da polinização, ficam rosadas. Além do Brasil, é encontrada na Bolívia, Guiana, Guiana Francesa e Suriname.


Aguapé

Flor do Aguapé
Flor do Aguapé. Crédito/ Divulgação/ Wikimedia Commons

Muito usada na decoração, tem folhas grandes e brilhantes – multiplica-se muito rápido. Quando
floresce, é composta de flores azuis arroxeadas. Mede entre 10 e 30 centímetros de altura e é encontrada nas Américas.


Papiro -brasileiro

Apesar de ser parecida com a planta aquática papiro (muito usada pelos egípcios antigos para fazer um tipo de papel de mesmo nome), essa espécie é brasileira. A nossa versão tem hastes longas (com cabeleira de folhas finas nas pontas) e flores amarelas pequenas. É cultivada à beira da água e chega a 3 metros de altura.

Lótus

Flor de Lótus
Flor de Lótus. Crédito/Divulgação/ pixabay

Espécie original da Ásia e da Oceania, é considerada mística em algumas culturas – tem associação com a vida eterna e renovação. Atinge até 1,8 metro de altura, prefere viver em cursos lentos de água e a pouca profundidade. No inverno, as flores desaparecem.


Ninfeia-vermelha

De origem asiática, às vezes é usada em residências que possuem lagos. Tudo por causa da beleza das flores: elas nascem no verão, são brancas e, ao longo do tempo, costumam ficar cor-de-rosa. A ninfeia-vermelha também pode ser plantada em vasos ou no lodo, em cursos de águalenta, além dos rios de água doce. No inverno, a folhagem e as flores desaparecem. Tem menos de 15 centímetros de altura.


Junco

Encontrado na África, América do Sul e do Norte, Ásia e Oceania, o junco chega a 1,2 metro de altura! Ele tem fol has afiadas e cilíndricas, em forma de pequenas lanças. É bastante usado como planta
ornamental e a raiz, em alguns locais, é considerada medicinal.