Oceano Pacífico: O maior do mundo

Ele abrange uma enorme área, entre América, Ásia e Oceania, e possui cerca da metade da água marinha do planeta

Maria Carolina Cristianini Publicado sexta 26 junho, 2020

Ele abrange uma enorme área, entre América, Ásia e Oceania, e possui cerca da metade da água marinha do planeta
- Getty Images

Localizado entre as América, a Ásia e a Oceania, o oceano Pacífico é o maior do planeta. Ele abrange uma área de 169 milhões de quilômetros quadrados - quase 20 vezes a área do Brasil. 

Pacífico foi a palavra usada pelo explorador espanhol Vasco de Balboa, o primeiro europeu a avistar a oceano, em 1513, para descrever, numa carta ao rei da Espanha, as águas tranquilas que viu. Mais tarde, em 1520, durante uma viagem do português Fernão de Magalhães, o primeiro a atravessar o Pacífico, o oceano ganhou de vez o nome.

No Pacífico fica o ponto mais fundo de todos os oceanos: a fossa das Marianas, perto das Ilhas Marianas, 11034 metros abaixo do nível do mar. Trata-se de uma rachadura submarina com, em média, 70 quilômetros de largura. Nas profundezas, sobrevivem apenas seres que se adaptam a alta pressão da água, como bactérias e alguns crustáceos e moluscos.

De acordo com o Guinness, o livro dos recordes, a temperatura mais alta já registrada num oceano foi no Pacífico: nada menos que 404 graus Celsius! O recorde foi medido a cerca de 2 mil metros de profundidade, a 480 metros da costa oeste dos Estados Unidos, perto de uma fonte hidrotermal – lugar em que o magma vulcânico fica próximo do fundo do oceano, aquecendo a água.

Para não perder a fama de gigante, o Pacífico também abriga o maior vulcão já encontrado no planeta. É o Tamu Massif, com 650 quilômetros de largura. Ele está inativo e deve ter se formado no período jurássico (entre 201 milhões e 145 milhões de anos atrás), após o encontro de três placas tectônicas, 1600 quilômetros a leste do Japão.

Nem tudo é vida no Pacífico! Existem grandes acúmulos de lixo plástico, trazido por correntes marítimas com um pouco de tudo – de cones de trânsito a brinquedos. Uma dessas áreas fica entre a Califórnia e o Havaí, no Pacífico Norte. A sujeira prejudica os animais, que podem morrer ao se alimentarem do plástico.

 

Consultoria: Claudio Egler (professor do Departamento de Geografia da UFRJ) e Mariana C. Cussioli (mestre em oceanografia pela USP).

Último acesso: 16 May 2021 - 00:28:13 (1095555).