Monumento às Bandeiras: Conheça o significado por trás da obra que homenageia aos bandeirantes

Inaugurada em 1954, a escultura se tornou um dos pontos turísticos da capital paulista

Bruna Cardoso Publicado sexta 7 maio, 2021

Inaugurada em 1954, a escultura se tornou um dos pontos turísticos da capital paulista
Obra Monumento às Bandeiras, em São Paulo - Pixabay

O Monumento às Bandeiras foi construído pelo escultor ítalo-brasileiro Victor Brecheret e fica na Praça Armando Salles de Oliveira, em frente ao Parque do Ibirapuera, na capital paulista. Tudo começou em 1920, quando o escultor ganhou um concurso de maquetes para a construção de uma escultura na cidade.

Três anos depois, o governo de São Paulo encomendou a construção do monumento, que levou mais de três décadas para ser concluído. Inaugurado em 1954, junto com o Parque do Ibirapuera, em comemoração ao Quarto Centenário da Cidade de São Paulo, o monumento tem 240 blocos de granito (cada um com cerca de 50 toneladas), 50 metros de comprimento e 16 de altura.

Bandeirantes

A obra homenageia e representa os bandeirantes, homens que desbravaram os sertões no período colonial (séculos 17 e 18) em busca de riquezas minerais (principalmente ouro e prata). Eles contribuíram para a expansão territorial do Brasil e foram os responsáveis pela descoberta do ouro em Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. Embora fossem vistos como heróis na época da construção do monumento, hoje sabe-se que as expedições dos bandeirantes também escravizavam índios.

Victor Brecheret trouxe à vida um grupo anônimo de 32 figuras (homens, mulheres e crianças), representando algumas etnias, como os portugueses (barbados) e os índios (com cruzes no pescoço). Ainda aparecem negros e mamelucos (pessoas com ascendência indígena e branca). Alguns estão puxando uma canoa de monções, muito usada pelos bandeirantes nas expedições fluviais, e duas figuras estão montadas em dois cavalos.

O escultor Victor Brecheret também está no Monumento às Bandeiras! Ele tem tem uma inscrição em ombro: autoretrato do escultor Victor Brecheret 02-10-1937.

Alguns apelidos

O monumento é popularmente chamado de Empurra-Empurra ou Deixa-Que-Eu-Empurro, que se referem ao fato de a embarcação que ali está nunca sair lugar, mesmo com todas as 32 figuras puxando. Se você reparar bem, as figuras da frente não estão realmente tentando mover a canoa de monções: as cordas estão muito frouxas. A única figura que estaria se esforçando ao máximo para mover a canoa é a última, que empurra o barco.

 

Consultoria: Luiz F. de Freitas Tavares (bacharel e licenciado em História pela UERJ).

Último acesso: 24 Sep 2021 - 12:37:53 (1092648).