Recreio
Mapa-Múndi / Mapa-Múndi

7 lugares impressionantes que ficam embaixo da terra

Conheça alguns lugares subterrâneos de tirar o fôlego espalhados pelo mundo

Letícia Yazbek Publicado em 05/02/2021, às 12h00 - Atualizado às 16h20

Mina de Sal Wieliczka, na Polônia - Pixabay
Mina de Sal Wieliczka, na Polônia - Pixabay

1. Para os corajosos

No fim do século 18, a lotação dos cemitérios no centro de Paris (França) levou o governo a criar grandes covas subterrâneas. Aí, os corpos de mais de seis milhões de pessoas foram transportados para um sistema de túneis, resultado de séculos de exploração de pedreiras no passado. Lá, os corpos foram organizados em pilhas. A galeria, conhecida como as Catacumbas de Paris, tem cerca de 400 quilômetros de extensão, mas apenas uma parte dos túneis abriga os ossos – essa área é aberta ao público.

2. Capela escondida

A Cripta da Catedral da Sé, em São Paulo, é uma capela construída em 1919, bem abaixo do altar principal da catedral. O espaço tem 619 metros quadrados e 7 metros de altura. A cripta conta com piso de mármore em preto e branco e teto cheio de arcos com tijolos. Lá dentro estão sepultados bispos portugueses e brasileiros importantes para a história da cidade, como Antônio Joaquim de Mello, primeiro bispo do nosso país. Algumas esculturas também estão guardadas por lá. As visitadas monitoradas à Cripta da Catedral da Sé acontecem de terça a domingo.

3. Cidade completa

Em Coober Pedy, cidade localizada no sul da Austrália, tudo funciona no subsolo. Ela foi construída por volta de 1915, quando a pedra preciosa opala foi descoberta na região e mineradores iniciaram as escavações. Para fugir do intenso calor que faz na superfície – que muitas vezes ultrapassa os 40 graus Celsius –, os mineradores escavaram as próprias casas e acabaram construindo uma pequena cidade. A mineração continua até hoje, e a cidade conta com igreja, hotel, galeria de arte e lojas. Para chegar até lá, é preciso percorrer longos túneis.

4. Lugar de cura

A Mina Radon, localizada em Montana (Estados Unidos), foi usada desde 1924 para extração de prata e minério de chumbo. Em 1949, foi descoberta a presença de baixa radioatividade, e a mina foi abandonada. Pouco tempo depois, uma mulher descobriu que a doença que tinha havia sumido depois de visitar o local. Aí, ele se tornou uma mina de radioterapia – pessoas buscam pequenas doses de radiação para diminuir a gravidade de diversas doenças. Até animais de estimação são levados para se tratar. É recomendado que as pessoas levem cobertor e travesseiro para passar a noite lá.

5. Entradas secretas

Entre 1969 e 1979, foi construída uma rede de túneis a 18 metros abaixo de Pequim (China). O objetivo era se proteger de um possível ataque nuclear da União Soviética – os túneis deviam abrigar mais de 40% da população da cidade. Eles cobrem uma área de 85 quilômetros quadrados e têm cerca de 90 entradas, escondidas em lojas e casas das ruas principais de Pequim. Na época, foram construídas lojas, restaurantes e escolas por lá. Hoje, os túneis estão abandonados e são visitados principalmente por turistas.

6. Toda de sal

A Mina de Sal Wieliczka, na Polônia, foi formada há milhões de anos: com a ação do tempo, o sal cristalizado foi depositado nas águas marinhas que havia na região. No século 13, mineiros locais escavaram galerias e salas, que continuaram a ser visitadas ao longo dos anos. A mina tem nove andares, cerca de 200 metros de profundidade e 300 quilômetros de extensão (apenas alguns trechos estão abertos ao público). O local abriga centenas de objetos decorativos e uma catedral esculpida em sal, que levou 30 anos para ser construída.

7. Labirinto antigo

O Castelo de Buda, em Budapeste (Hungria), é conhecido por ser a antiga moradia dos reis do país. Além de museus, biblioteca e teatro, ele abriga um grande labirinto subterrâneo. As cavernas, com mais de 10 quilômetros de extensão, surgiram no século 11, causadas pela ação das águas subterrâneas sobre as rochas. O castelo foi construído no século 13 – aí, o labirinto foi descoberto e passou a ser utilizado como abrigo de guerra e esconderijo de armas. Hoje, conta com obras de arte e objetos históricos da cidade e é aberto ao público.