Recreio
Mapa-Múndi / Cidades

Cidade maravilhosa: Saiba mais sobre o Rio de Janeiro

Venha com a gente conhecer melhor um dos principais cartões portais do Brasil

Lucas Vasconcellos Publicado em 17/12/2021, às 16h35 - Atualizado às 17h32

Cidade do Rio de Janeiro - Pixabay
Cidade do Rio de Janeiro - Pixabay

Sem os portugueses

Antes da colonização de Portugal no Brasil, a região do Rio de Janeiro era habitada por tribos indígenas, como os tupinambás. Os portugueses começaram a marcar presença com a chegada do navegador Gaspar de Lemos, em 1502.

Conflitos antigos

Franceses também se apossaram da região, criando a colônia França Antártica, em 1550, em união com os índios tupinambás. Para revidar, os portugueses se aliaram aos temiminós (rivais dos tupinambás), que ajudaram a destruir a colônia francesa. A expulsão final, depois de algumas batalhas, foi em 1567.

Nova capital

A cidade foi fundada em 1º de março de 1565, como São Sebastião do Rio de Janeiro. Na metade do século 17, já era a região mais populosa do Brasil. Esse fato, somado à existência de um porto e à proximidade com as jazidas de ouro de Minas Gerais (importantes para a riqueza da época), fez com que o Marquês de Pombal (secretário de Estado do Reino de Portugal), em 1763, transferisse a capital de Salvador (Bahia) para lá.

O Rio de Janeiro foi a capital do Brasil até 1960, quando terminou a construção de Brasília (Distrito Federal). A partir daí, a cidade do Rio de Janeiro assumiu o posto de capital estadual, antes ocupado por Niterói.

Casa da Família Real

Guerras na Europa fizeram a Família Real Portuguesa se mudar para o Brasil em 1808 – mais exatamente para o Rio de Janeiro. O rei dom João VI trouxe livros (muitos estão hoje na Biblioteca Nacional) e transformou a cidade em sede do Império Português até 1822. Isso elevou o Brasil, em 1815, à parte integrante do Reino Português.

Não falta diversão!

As praias são o principal atrativo natural, mas não o único. Outra opção superlegal de lazer ao ar livre é a Floresta da Tijuca. Além disso, há locais históricos, como a Biblioteca Nacional e o Teatro Municipal, e passeios imperdíveis, como o Cristo Redentor e o Bondinho do Pão de Açúcar.

Uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, o Cristo Redentor tem 38 metros de altura, pesa mais de mil toneladas e está 709 metros acima do nível do mar. A construção começou em 1926 e terminou em 1931. Feita na França, a estátua veio para cá em pedaços – só a cabeça tinha 50 peças! Para levar tudo até o alto do Corcovado (onde fica a obra) foi usado um trem que ligava o morro à parte baixa do Rio de Janeiro.

O Bondinho do Pão de Açúcar foi construído entre 1909 e 1912. Alpinistas escalaram os morros da Urca e do Pão de Açúcar para fazer a estrutura. Na época, apenas a Espanha e a Suíça tinham teleféricos parecidos – o nosso superou os dois em tamanho e extensão. Atualmente, ele atinge até 36 quilômetros por hora e 396 metros de altura!

Problemas à vista

A partir de 1822, com a Proclamação da República, a cidade passou a crescer rapidamente, enfrentando problemas sociais, como falta de moradia e desigualdade entre a população – essas questões podem ser vistas até hoje.

Você sabia?

É provável que o nome Pão de Açúcar tenha sido dado ao morro na época em que o cultivo de cana-de-açúcar estava em alta no Brasil. No período colonial, depois que o caldo da cana era fervido, blocos de açúcar ganhavam formato de cone para o transporte. Esses cones eram chamados de pão de açúcar e tinham visual parecido com o do morro no Rio de Janeiro.