Recreio
Mapa-Múndi / Países

10 fatos curiosos sobre a Grande Muralha da China

Descubra algumas curiosidades que talvez ninguém te contou sobre uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno

Lucas Vasconcellos Publicado em 31/03/2021, às 12h00 - Atualizado às 16h54

Pessoas andando na Grande Muralha da China - Pixabay
Pessoas andando na Grande Muralha da China - Pixabay

1. Entre os séculos 7 e 3 antes de Cristo, o território chinês ainda não era unificado — ou seja, não existia a China como conhecemos hoje. Até então, a região era composta por vários principados, que guerreavam entre si. Para proteção, esses locais construíram muralhas de defesa nas fronteiras.

2. A divisão de território chinês durou até o 221 antes de Cristo, quando o primeiro imperador da dinastia Qin fundou a China. A partir daí, teve início a junção dos diversos muros de proteção que já existiam. Foi o pontapé para a primeira grande muralha, com 5 mil quilômetros de extensão. A ideia continuava a mesma: proteger o império.

3. Ao longo da história, diversas dinastias governaram a China. Em cada uma delas, o processo de expansão da muralha continuou, assim como a restauração do que já havia sido feito — guerras e a baixa qualidade do material usado causavam danos frequentes ao grande muro. Entre 1368 e 1644, o território foi governado pela dinastia Ming, responsável pela maior ampliação da muralha, que atingiu 7,5 mil quilômetros de extensão.

4. Diversos materiais foram usados na construção da Grande Muralha: rochas encontradas na região, blocos de terra socada, tijolos e até corpos de pessoas que morreram durante a obra.

5. A partir do século 17, com a chegada da dinastia Qing ao poder, a obra foi deixada de lado. Essa dinastia deixou o poder em 1911, mas a situação da muralha só mudou a partir de 1980, quando Deng Xiaoping, líder chinês, comandou um processo de restauração — o objetivo era apenas melhorar a aparência da muralha, tornando-a turística.

6. A Muralha da China vai de Jiayuguan (oeste do país) até o rio Yalujiang (leste do país). Além disso, atravessa o Deserto de Gobi, algumas províncias e até uma parte do território que hoje pertence à Mongólia. São cerca de 8.851 quilômetros de extensão, entre 6 e 7 metros de altura e entre 4 e 5 metros de largura!

7. Já ouviu falar que dá para ver a Muralha da China da Lua? Isso não é verdade! O boato surgiu em 1893, em uma revista dos Estados Unidos. Quem desmentiu foi o primeiro chinês a ir ao espaço, Yang Liwei, no início do século 21.

8. Em 1986, a China inscreveu a muralha na Lista de Patrimônio Mundial da UNESCO. Os Palácios Imperiais das Dinastias Ming e Qing, em Pequim e Shenyang, o Sítio do Homem de Pequim, as Grutas de Mogao em Dunhuang, o Exército de Terracota e o Monte Tai também foram inscritos. As inscrições foram formalmente aceitas pelo Comite do Patrimônio Mundial em 1987.

9. Após um concursco internacional informal, realizado em 2007, a Muralha da China foi considerada uma das das Sete Maravilhas do Mundo Moderno.

10. Atualmente, a construção recebe cerca de 10 milhões de turistas por ano. Quem visita o local consegue ver a parte construída pela dinastia Ming, uma das poucas paredes que resistiram ao tempo.