Recreio
Escola / Invenções

Quem inventou a Língua Brasileira de Sinais?

O sistema de linguagem chamado de Libras utiliza gestos com as mãos e linguagem corporal

Letícia Yazbek Publicado em 26/02/2020, às 14h00 - Atualizado às 14h36

Getty Images
Getty Images

A Língua Brasileira de Sinais (Libras) é um meio usado para que surdos se comuniquem por meio da gesticulação das mãos e da linguagem corporal. A Libras surgiu no Brasil no século 19, quando o então imperador do país, dom Pedro II, inaugurou por aqui o Colégio Nacional para Surdos-Mudos (atual INES).

Os sinais são uma combinação de gestos com as mãos, movimentos, pontos de articulação (quando um sinal é feito em algum lugar no corpo ou espaço), movimentos corporais e expressões faciais.

Assim como diversas linguagens, a Libras é composta por níveis linguísticos como: fonologia, morfologia, sintaxe e semântica. Por isso, para se comunicar em Libras, não basta conhecer os sinais - é o preciso saber também sua gramática para combinar os gestos e formar frases da forma correta.

Cada país possui a sua linguagem de sinais, com características próprias (a nossa tem influência francesa). Então, se um brasileiro surdo for morar nos Estados Unidos, terá que aprender a linguagem de lá – assim como quem escuta deve estudar o inglês. Esse tipo de linguagem também pode variar de região para região, de acordo com a cultura do locasl e das expressões utilizadas por lá.

Libras é uma língua como qualquer outra. Por isso, todos podem aprender. A dificuldade é a mesma de quem está estudando um novo idioma, como inglês e francês.