Recreio
Escola / Gramática

Por que, porque, porquê e por quê: quando devemos usá-los?

Entenda de uma vez por todas quando utilizar todos os porquês da língua portuguesa

Bruna Cardoso Publicado em 02/07/2021, às 09h00 - Atualizado às 10h04

Imagem ilustrativa de uma mulher com dúvidas - Pixabay
Imagem ilustrativa de uma mulher com dúvidas - Pixabay

1) Por que

É usado separado:
A) Quando equivale a por qual razão e por qual motivo.
Exemplos:
● Por que você comprou esse caderno?
● Não sei por que, só não quero ir ao cinema.

B) Quando pode ser trocado por pelo qual (ou pela qual, pelos quais, pelas quais)
Exemplos:
● O monumento por que passamos foi construído há muitos anos.
● Esses são os direitos por que seus antepassados lutaram.

2) Porque

Equivale a pois, já que, uma vez que e como. Essa forma é aplicada em respostas para explicação ou causa.

Exemplos:
● Minha mãe foi ao mercado porque não temos arroz em casa.
● Não fui à festa do meu melhor amigo porque choveu.

3) Por quê

É o jeito correto de escrever quando vier antes de um ponto (final, exclamação e interrogação) ou reticências. Equivale a por qual motivo e por qual razão.

Exemplos:
● Ainda estou esperando o por quê...
● Não veio por quê?

4) Porquê

Representa um substantivo e significa causa, razão, motivo. Costuma vir acompanhado de um artigo, pronome, adjetivo ou numeral.

Exemplos:
● Não consigo entender o porquê de a professora ter faltado hoje.
● Você não vai à aula? Diga-me ao menos um porquê.


Consultoria: Beth Brait (professora da pós-graduação do PEPG em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem e do PEPG de Literatura e Crítica Literária da PUC-SP).