Recreio
Escola / Planeta

Meridianos e paralelos: Entenda como funcionam as linhas do planeta

Essas linhas imaginárias que ficam espalhadas pelos mapas foram criadas para localizar qualquer ponto no mundo

Maria Carolina Cristianini Publicado em 23/10/2020, às 10h00 - Atualizado às 15h50

Imagem ilustrativa das linhas no mapa-múndi - Pixabay
Imagem ilustrativa das linhas no mapa-múndi - Pixabay

Já reparou como os mapas estão cheios de linhas verticais e horizontais? São linhas imaginárias, ou paralelos e meridianos, criadas para localizar qualquer ponto no mundo. Elas também marcam a divisão de climas no planeta e indicam os fusos horários.

O paralelo principal é a linha do Equador, que divide o globo terrestre em dois hemisférios (Norte e Sul). Ela também é o ponto inicial (0 grau) para medir latitudes. Isso quer dizer que latitude é a distância em graus (de 0 a 90 graus) de qualquer ponto da superfície do planeta em relação à linha do Equador. O país Equador recebeu este nome por causa da linha, que passa por ele? Equador vem da palavra em latim aequatore, que quer dizer “tornar igual” (a linha divide a Terra ao meio)

Os nomes das linhas paralelas ao Equador têm a ver com o Sol. Quando o verão começa no hemisfério Sul, os raios solares incidem sobre a área onde está o trópico de Capricórnio. Nesse momento, na direção do Sol, está a constelação (grupo de estrelas) de Capricórnio. Já quando o verão se inicia no hemisfério Norte, o Sol incide sobre a área do trópico de Câncer e a constelação de Câncer está na direção do Sol. Daí os nomes!

Noite e dia

Por causa da inclinação da Terra, o Sol nunca se põe quando o verão chega ao polo Sul ou ao polo Norte. Durante o inverno, acontece o contrário: as noites são compridas e em alguns lugares não amanhece. Os círculos polares Ártico e Antártico marcam o limite de onde ocorre, durante o verão, ao menos um período de 24 horas em que não anoitece e, no inverno, um dia inteiro sem Sol.

Dois lados do mundo

Na vertical, a linha imaginária que divide a Terra (entre os hemisférios Leste e Oeste) é o meridiano de Greenwich. É a partir dele que medimos a longitude. Ou seja: longitude é a distância em graus (de 0 a 180 graus) de qualquer lugar do planeta em relação ao meridiano de Greenwich.

Além de indicar a longitude, o meridiano de Greenwich define o horário mundial. Ele foi estabelecido como ponto de referência em 1884, quando a Terra passou a ser dividida em 24 fusos horários (cada fuso adiciona ou diminui uma hora em relação a Greenwich). Antes, os relógios eram acertados pela observação do Sol. E rolava a maior confusão! O nome do meridiano de Greenwich vem do fato de ele passar pelo Observatório Astronômico Real britânico, na cidade de Greenwich, perto de Londres


Consultoria: Ailton Luchiari (professor do Departamento de Geografia da USP) e Claudio Egler (professor do Departamento de Geografia da UFRJ).