Recreio
Entretenimento / Animais

Entenda por que a água-viva queima

Saiba essa e outras curiosidades sobre esses animais marinhos

Shirley Paradizo Publicado em 26/05/2020, às 11h09 - Atualizado às 11h11

Cena do filme Procurando Nemo - Divulgação/Disney
Cena do filme Procurando Nemo - Divulgação/Disney

Água-viva é um nome genérico para se referir a qualquer animal do filo dos cnidários que tenha o corpo gelatinoso em forma de sino ou campânula e que tenha a capacidade de nadar. Entre os cnidários, existem quatro grupos de águas-viva.

A água-viva não tem esse nome por acaso: 98% de seu corpo é formado de água. A água-viva é composta por cerca de 98% de água. Por isso, quando encalha na areia da praia, ela desaparece à medida que a água evapora.

Elas queimam?

Esse animal marinho gelatinoso não tem cérebro, ossos ou coração. Ele possui sensores luminosos e táteis espalhados pelo corpo. Se um dos tentáculos encostar em qualquer coisa, células especiais liberam uma espécie de agulha que injeta veneno e paralisa o inimigo. Assim, ela consegue se defender e capturar comida.

Portanto, o que acontece quando a água-viva entra em contato com a nossa pele não é uma queimadura, mas um envenamento acidental. Com o contato, essas células que liberam o veneno são estimuladas. A ação das toxinas varia de acordo com o organismo, mas ela constuma ser interpretada pelo nosso cérebro como uma dor intensa, semelhante à queimadura.

O veneno tem propriedades neurotóxicas e necrosantes da pele, que causam bolhas e feridas. Por isso, a região pode ficar vermelha e com marcas. O tamanho e o tipo do cnidário, além do tamanho da vítima, define a gravidade das lesões. Enquanto algumas espécies, como as Cubomedusas, podem causar a morte da vítima, outras trazem apenas uma leve irritação na pele.