Recreio

O dia em que Toy Story 2 quase foi deletado para sempre

Já imaginou como seria se as aventuras de Buzz, Woody e seus amigos simplesmente sumissem? Em 1998, isso quase aconteceu. Conheça a história!

Daniela Bazi Publicado em 05/07/2021, às 18h54 - Atualizado às 18h56

Imagem promocional de Toy Story 2 (1999) - Divulgação/Pixar
Imagem promocional de Toy Story 2 (1999) - Divulgação/Pixar

A franquia de Toy Story é uma das mais amadas de todo o mundo, com seus quatro filmes fazendo história no mundo do cinema. Dificilmente você encontrará alguém que não conhece as aventuras de Woody, Buzz e seus amigos, ou alguns de seus bordões mais famosos como o lendário “Ao infinito, e além!”.

Mas, você já pensou como seria caso parte dessa icônica história fosse perdida? Graças a um ex-funcionário da Pixar, isso quase aconteceu no ano de 1998, quando praticamente todo o segundo filme foi excluído dos arquivos do estúdio. A história desesperadora foi contada pelo cofundador da Pixar, EdCatmull, no livro Creativity Inc., lançado em 2014, onde o mesmo escreveu ao lado da autora Amy Wallace.

Catmull começa a história dizendo que a produção de Toy Story 2 rendeu grandes dores de cabeça desde o começo. John Lasseter, o diretor do filme, já estava cansado pois havia acabado de lançar dois grandes projetos (Toy Story 1 e Vida de Inseto), enquanto os criadores passavam por fortes problemas de criatividade — mas tudo isso não significaria nada após o que estava prestes a acontecer.

Em um determinado dia, um dos funcionários da Pixar acabou colocando um comando que excluía tudo dos arquivos onde o filme estava armazenado. Cenas, cenários, animações de personagens... Tudo foi perdido em questão de segundos.

toy story
Cena da animação Toy Story 2 (1999) / Crédito: Divulgação/Pixar

Para piorar a situação, o sistema de backup também não estava funcionando e a equipe viu todo o seu trabalho e esforço ir por água abaixo. Apenas para chegar até o ponto que já estava feito, seria necessário mais um ano de produção, além de um novo investimento de milhares de dólares. No entanto, após muito desespero, uma pessoa conseguiu salvar o dia depois de tanto caos — e não foi o Buzz.

O nome da grande heroína da Pixar é Galyn Susman. Na época, ela trabalhava como supervisora de direção técnica do filme, e estava afastada pois havia acabado de dar à luz ao seu segundo filho. Porém, mesmo estando de licença maternidade, a mulher decidiu que não iria parar de trabalhar e levou uma cópia da produção para sua casa. A sua insistência em continuar trabalhando foi a responsável por salvar o projeto.

No livro, Catmull conta que ao descobrirem, buscaram o computador de Galyn em sua casa, e o levaram até o estúdio enrolado em cobertores e com o maior cuidado possível, transferindo todos os arquivos o quanto antes. Apesar do backup não conter tudo o que foi perdido, Ed afirma que o conteúdo já foi o suficiente para reduzir significantemente os danos. Ufa!