Recreio

De Westiview para o Multiverso: Wanda Maximoff ganha novas reviravoltas “Em Doutor Estranho No Multiverso Da Loucura”

O novo filme do Mestre das Artes Místicas está em cartaz desde 4 de maio

Redação Publicado em 12/05/2022, às 13h04

A Feiticeira Escarlate em cena de “Doutor Estranho No Multiverso da Loucura” - Divulgação/ Marvel Studios
A Feiticeira Escarlate em cena de “Doutor Estranho No Multiverso da Loucura” - Divulgação/ Marvel Studios

Em cartaz nos cinemas brasileiros desde 4 maio, “Doutor Estranho No Multiverso da Loucura”, o novo filme da Marvel Studios, abre as portas para realidades alternativas ao lado do Dr. Stephen Strange (Benedict Cumberbatch). O novo filme marca o retorno do mestre das artes místicas ao Universo Cinematográfico Marvel seis anos após “Doutor Estranho”, o filme de 2016 que o apresentou ao público. Agora, a nova história mostra Strange embarcando em uma jornada ao desconhecido ao lado de aliados místicos antigos e novos.

Um desses reencontros acontece com Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen), a carismática feiticeira que fez sua primeira aparição no MCU em 2014, nas cenas pós crédito de “Capitão América e o Soldado Invernal”. Desde então, Wanda participou de “Os Vingadores: Era De Ultron”, “Capitão América: Guerra Civil”, “Vingadores: Guerra Infinita” e “Vingadores: Ultimato” (todos disponíveis no Disney+), surpreendendo os fãs com uma força e tenacidade sem igual.

DE WESTVIEW PARA O MULTIVERSO

No ano de 2021, Wanda deu seu maior salto até hoje quando estrelou a primeira série original da Marvel Studios para o Disney+ intitulada “WandaVision”. A história se passa após os eventos de “Vingadores: Ultimato”, que tragicamente marcaram Wanda e Visão. A produção marcou um antes e depois no MCU, com um estilo único que combinou elementos da clássica sitcom americana e a ação em grande escala da Marvel.

Falando sobre “WandaVision”, Elisabeth Olsen, a interprete da personagem, diz que ela acredita que representa a jornada de Wanda para um estágio em que, pela primeira vez, ela está nas rédeas de sua vida. “Ela está tomando decisões por si mesma, sem que ninguém as tome em seu lugar, e reconhece que tem muito o que processar. Ela tem um senso de responsabilidade pelo que fez com aquela cidade e com aquelas pessoas. Mas ela também está vivenciando uma grande perda de outra vida que havia sido criada e que agora pode existir no Multiverso”, comenta Olsen sobre a série.

“WandaVision” permitiu que Olsen mergulhasse profundamente na personagem, trazendo consigo seis anos de experiência. “Esta série criou uma oportunidade para expandir o que faz de Wanda ser Wanda. Ela é uma pessoa de sentimentos profundos, mas, nesta série, ela tenta deixar esta parte de si mesma em segundo plano. Então, foi uma jornada que permitiu Wanda ultrapassar a fachada das sitcoms e se aceitar pela mulher que é e a vida que teve”, diz Olsen.

Contanto com nove episódios, a série acompanha os recém-casados Wanda e Visão, que se instalam no subúrbio de Westview, onde devem manter deus poderes escondidos dos olhares curiosos e perguntas insistentes de novos amigos e vizinhos. Aos poucos, a pacífica realidade dos super-heróis em Westview sugere que nem tudo é o que parece ser, desencadeando uma série de eventos que preparam o cenário para muito do que será visto em “Doutor Estranho No Multiverso da Loucura”.

Vale lembrar que os nove episódios com a história completa de “WandaVision” podem ser vistos exclusivamente no Disney+.

EM BUSCA DE WANDA

No novo filme do Mestre das Artes Místicas desenvolvido pela Marvel Studios, Doutor Estranho recorre a Wanda para obter informações sobre o Multiverso para proteger América Chávez (Xochitl Gómez), uma adolescente com a habilidade única de abrir portas de um multiverso para o outro.

Tendo feito um juramento de proteger as barreiras entre os universos, o cuidado de América agora recai sobre ele, e o que segue é uma aventura intensa e alucinante que envia o Doutor Estranho e seus aliados em uma perigosa jornada em universos alternativos no Multiverso, onde ele encontra outras versões de seus amigos, seus inimigos e até dele mesmo, e fica diante de um inimigo com poderes nunca antes vistos.

Olsen conta que voltar à personagem de Wanda Maximoff, também conhecida como Feiticeira Escarlate, em “Doutor Estranho No Multiverso da Loucura” foi uma oportunidade “incrível”. Sobre sua poderosa personagem, ela diz: “Eu acho que o motivo pelo qual eu realmente gostei de Wanda desde o começo é que ela tem suas crenças muito bem claras e definidas. Ela não se alinha com os outros, e tudo bem. Ela chegará ao seu próprio entendimento das coisas e quando comete um erro, ela admite”.

Em um novo conteúdo especial sobre o filme, já disponível no canal oficial da Marvel Latinoamérica no YouTube, Olsen confessa que viver a transição de sua personagem na série para o novo filme foi muito divertido.

Esta é uma história sobre como encontramos a felicidade. É uma história clássica sobre pessoas que escolhem um caminho diferente. Olhamos para esta ideia que eu acho que romantizamos muito: Como seria a minha vida se eu virasse para esquerda em vez da direita? Trata-se de meditar sobre o que fizemos para chegar onde estamos”, reflete a atriz sobre o filme.

Mais detalhes sobre o papel que Wanda/Feiticeira Escarlate desempenha e o impacto que isso terá, não apenas na jornada individual da personagem, mas no futuro do MCU, poderão ser vistos em “Doutor Estranho No Multiverso da Loucura”. Confira o trailer!