Recreio

Batman: Matt Reeves conta a história de origem do Coringa de Barry Koeghan

A versão do vilão interpretada por Koeghan foi apresentada em 'Batman', filme lançado em 3 de março

Izabela Queiroz Publicado em 28/03/2022, às 14h46 - Atualizado às 15h15

Barry Koeghan como Coringa no Asilo Arkhan do filme 'Batman' (2022) - Divulgação/ Warner Bros. Pictures
Barry Koeghan como Coringa no Asilo Arkhan do filme 'Batman' (2022) - Divulgação/ Warner Bros. Pictures

Em entrevista à Variety, Matt Reeves, diretor de ‘Batman’, contou detalhes sobre a história de origem de Coringa, inimigo clássico do Homem-Morcego nas HQs que surpreendeu os fãs da DC ao surgir sendo interpretado pelo ator Barry Koeghan nas cenas finais do longa.

Reeves realizou referências a diversas produções durante a explicação e começou contando que o vilão "É como o Fantasma da Ópera. Ele tem uma doença congênita que não o deixa parar de sorrir, e é terrível. A rosto dele é coberto pela metade na maior parte do filme.”

O direto continuou a resposta fazendo uma alusão à 'Batman' de Tim Burton ao afirmar que o personagem vivido por Koeghan "Não é como uma versão em que ele cai em um tanque de produtos químicos e o rosto ficou distorcido.”

Além disso, Reeves diz que sua interpretação do Palhaço do Crime não será como a de Christopher Nolan interpretada por Heath Ledger em Batman: O Cavaleiro das Trevas “onde há mistério sobre como ficou com cicatrizes no rosto” e questiona: “E se esse cara teve doenças desde o nascimento e foi amaldiçoado?

Por fim, o diretor concluiu que na sua versão, o personagem " tinha esse sorriso que as pessoas olhavam que era grotesco e aterrorizante. Mesmo quando criança, as pessoas olhavam para ele com horror, e sua resposta foi dizer: 'Ok, então uma piada foi jogada em mim', e essa foi sua visão niilista do mundo”.

O novo filme do vigilante de Gotham também trouxe o novo Coringa em uma cena deletada que foi divulgada ao público na última quarta-feira, 23. Confira!