Recreio
Busca
Facebook RecreioTwitter RecreioInstagram Recreio

Após perder liminar, HYBE declara que dará "próximos passos dentro dos limites da lei"

A HYBE perdeu o direito de votar a favor da demissão de Min Hee Jin do cargo de CEO de uma das subsidiárias da empresa: a ADOR

Logo da HYBE e Min Hee Jin, CEO da ADOR - Reprodução/YouTube /걸스 온 파이어 X KPOP JAMM/ HYBE
Logo da HYBE e Min Hee Jin, CEO da ADOR - Reprodução/YouTube /걸스 온 파이어 X KPOP JAMM/ HYBE

Após perder uma das batalhas judiciais contra a CEO da ADOR,Min Hee Jin, a HYBE afirma que prosseguirá com a disputa, que começou em 22 de abril deste ano, e dará os próximos passos "dentro dos limites estabelecidos por lei".

A declaração, repercutida pelo portal Soompi, surge após o Tribunal Distrital Central de Seul aprovar a liminar que impede a HYBE de votar a favor da demissão de Min na reunião extraordinária de acionistas da ADOR marcada para hoje, 31.

Além disso, é neste texto onde a HYBE revela que respeita a decisão da corte, mas reforça que, conforme reconhecido pelo tribunal, Min Hee Jin conspirou para que o conglomerado perdesse os direitos de gestão sob a ADOR, visto que a empresa possui 80% de participação na agência.

Isso porque, ao ceder a liminar à Min Hee Jin, o tribunal afirmou: “Embora as ações de Min Hee Jin possam ser consideradas traição à HYBE, é difícil dizer que elas constituem ações de quebra de confiança em relação à ADOR”.

Leia a declaração da HYBE na íntegra:

Nossa empresa respeita a decisão do tribunal em relação ao processo de liminar movido pelo CEO Min Hee Jin e não exercerá o direito de voto a favor da 'Demissão do Diretor Interno Min Hee Jin' na próxima assembleia extraordinária de acionistas.

Além disso, como o tribunal declarou claramente nesta decisão, 'é evidente que Min Hee Jin procurou maneiras de enfraquecer o controle da HYBE sobre a ADOR e permitir que Min Hee Jin controlasse a ADOR de forma independente, tirando o NewJeans do controle da HYBE ou pressionando a HYBE a vender suas ações na ADOR', nossa empresa planeja prosseguir com as etapas subsequentes dentro dos limites estabelecidos por lei.

Segundo o portal Naver, os representantes de Min também se pronunciaram após a decisão. "A HYBE não foi capaz de provar o motivo da demissão e renúncia da CEO Min Hee Jin como diretora, e esta é a principal razão pela qual este pedido de liminar foi aceito", disseram.