Recreio
Busca
Facebook RecreioTwitter RecreioInstagram Recreio
Entretenimento / Walt Disney

Afinal, qual era a princesa favorita de Walt Disney?

Descubra qual, entre as treze princesas já lançadas pelo estúdio, se tornou a princesa favorita de Walt Disney

Walt Disney e as princesas do estúdio - Screen Archives/Getty Images
Walt Disney e as princesas do estúdio - Screen Archives/Getty Images

A franquia Princesas da Disney começou em 1937 com o lançamento do primeiro longa-metragem animado do estúdio: ‘Branca de Neve e os Sete Anões’, história que acompanha a protagonista, que dá título ao enredo, fugindo de sua madrasta, a Rainha Má, que em busca de ser a mais bonita do reino, quer a morte da bela enteada e a amaldiçoa com uma maçã maça envenenada, a colocando em sono profundo onde apenas um beijo de amor verdadeiro poderá acordá-la.

Desde então, a empresa fundada por Roy e Walt Disney lançou mais 12 princesas oficiais (Ariel, Cinderela, Aurora, Bela, Jasmine, Pocahontas, Mulan, Tiana, Rapunzel, Mérida, Moana e Raya), que tiveram suas histórias apresentadas em animações únicas, e que devido ao sucesso, expandiram seus universos com sequências e prequelas, como aconteceu com Ariel, que surgiu em ‘A Pequena Sereia’, teve seu futuro explorado em ‘A Pequena Sereia II: O Retorno para o Mar’ e o passado apresentado em ‘A Pequena Sereia: A História de Ariel’.

Além dos filmes, a franquia conta com jogos e colecionáveis que conquistaram o público através das trajetórias que as princesas construíram e das lições inspiradoras que transmitem em suas histórias, visto que essas causam identificação, fatos que fizeram com que, inclusive, uma delas fosse nomeada a princesa favorita de Walt Disney.

Quem é ela?

Cinderela
Cena de "Cinderela", filme lançado em 1950 /Crédito: Reprodução/ Disney

A princesa em questão é Cinderela, apresentada na animação autointitulada lançada em 1950 sob a direção de Clyde Geronimi, Wilfred Jackson e Hamilton Luske

A narrativa, que adapta o conto de mesmo nome escrito por Charles Perrault e publicado em 1697, apresenta a princesa que, após a morte do pai, se vê a mercê de sua madrasta e de suas duas meias-irmãs, que a forçam a fazer todos os trabalhos domésticos sozinhas e não permitem que ela tenha liberdade para ir e vir.

Em meio a rotina difícil, Cinderela nunca deixou de sonhar com dias melhores, e quando um baile real é organizado para que o príncipe escolha uma donzela do reino para se casar, ela expressa seu desejo em ir ao evento, ganhando ajuda da Fada Madrinha para que, com um passe de mágica, suas roupas e objetos velhos fossem temporariamente transformados em artigos de luxo, a ajudando a comparecer à festa que mudaria sua vida para sempre.

Isso porque, após dançar uma valsa com o herdeiro do trono, ela deixa o palácio às pressas, visto que, ao badalar da meia-noite, o encantamento seria desfeito e ela voltaria a usar seus antigos e sujos trajes, assim como perderia seus meios de transporte. No entanto, no meio da correria, ela acaba deixando para trás o sapatinho de cristal que usava, calçado que se torna a única informação do príncipe sobre a moça, sendo experimentado por todas as moças do reino até que o príncipe encontre Cinderela e os dois vivam felizes para sempre.

A revelação de que Cinderela é a princesa favorita surgiu por meio da dubladora oficial da personagem, Ilene Woods, em bate-papo revelado pelo site D23, onde ela afirma que Walt admitiu o relato para ela, afirmando que se identificava com a princesa.

Uma vez entrei no escritório dele e ele me disse: 'Você é minha heroína favorita, sabia?' Eu disse: 'Você quer dizer Cinderela?' 'Sim', ele disse, 'há algo nessa história que eu associo', relembrou Woods.

Woods traçou um paralelo entre a história de Walt e Cinderela ao suspeitar que o produtor tinha em comum com a princesa a ascensão “da pobreza para a riqueza”, diz ela. “Claro, então eu não sabia quantas vezes Walt havia arriscado tudo para realizar seus sonhos”, concluiu a atriz.

Além disso, ‘Cinderela’ conta com a cena favorita de Walt entre todas as animações já lançadas pelo estúdio: a transformação do vestido da princesa. O animador Marc Davis expôs a informação em entrevista ao blog da Disney ao afirmar que a cena traz muitos dos conceitos que Walt gosta de abordar em seus títulos.

Isso realmente mostra muito sobre o próprio Walt Disney: magia, desejos se tornando realidade e esse tipo de coisa. Cinderela teve uma verdadeira força de caráter ao longo do filme. Eles não iriam bater nela, não importa o que acontecesse.”

Vale lembrar ainda que Cinderela se torna especial não só para Walt, mas para todo o futuro do estúdio que existe há mais de cem anos, visto que, como repercutido pelo portal ScreenRant, na época, a empresa administrava uma alta dívida bancária, que afetou a saúde financeira do estúdio

No entanto, com o lançamento do filme em 1950, que performou um alto desempenho comercial e grande aprovação da crítica, a situação foi estabilizada, e o estúdio pode prosseguir com o desenvolvimento de grandes títulos lançados logo em seguida: ‘Alice no País das Maravilhas’ em 1951 e ‘Peter Pan’ em 1953.