Recreio
Facebook RecreioTwitter RecreioInstagram Recreio

20 anos de Lilo e Stitch: 5 curiosidades sobre o clássico filme da Disney

Confira detalhes dos bastidores da animação lançada em 2002

Izabela Queiroz Publicado em 21/06/2022, às 14h41

Cena de "Lilo e Stitch" - Divulgação/ Disney
Cena de "Lilo e Stitch" - Divulgação/ Disney

Sendo uma das mais memoráveis animações criadas pela Disney, “Lilo e Stitch” acompanha uma jovem garota havaiana que resolve adotar um cachorro, mas que se surpreende ao descobrir que aquele bichinho estranhamente fofo era na verdade um alienígena geneticamente modificado que foi condenado e fugiu para a terra, a fazendo viver diversas aventuras engraçadas e uma grande amizade.

Podendo ser considerada uma das histórias clássicas do estúdio, o filme desenvolvido sob os comandos dos diretores Dean DeBlois e Chris Sanders completa em 28 de junho deste ano, duas décadas desde o seu lançamento realizado em 2002. Sendo assim, em comemoração à data, separamos 5 curiosidades sobre os bastidores da produção; confira!

1. Os sentimentos de Stitch

Uma das maiores dificuldades da casa do Mickey foi fazer com que as emoções de Stitch fossem compreendidas pelo público, visto que comumente esses sentimentos são transmitidos pelo olhar, mas a criatura extraterreste não possuía pupilas, o que dificultava esse processo.

Dessa forma, os animadores encontraram uma solução: tornaram as emoções parte da linguagem corporal do personagem.

2. Mudança de roteiro?

No roteiro original, Stitch seria um gângster intergaláctico, enquanto Jumba seria um de seus parceiros. Formando uma gangue, eles realizariam um roubo, mas durante a ação, Jumba seria deixado para trás.

Contudo, a ideia foi abandonada pois os produtores notaram que Stitch era mais simpático, mudando todo seu destino: de um criminoso brutal, ele se tornou um experimento genético criado por Jumba, o cientista da trama.

3. Cenários da vida real

Caso surja a vontade de visitar um dos cenários paradisíacos que Lilo e Stitch percorrem durante o filme, basta realizar uma viagem ao Havaí, visto que a produção conta com a retratação de diversas paisagens da ilha Kauai, como é o caso do farol Kilauea, localizado na costa Na Pali.

farol Kilauea
A esqueda, o farol Kilauea na vida real; A direita o mesmo monumento em "Lilo e Stitchi" / Crédito:  Divulgação/pxhere/Disney

4. A dança

É verdade que dançar hula, típica dança havaiana, não é uma coisa fácil. Pensando nisso, a Disney se preocupou em retratar todos os movimentos corretamente e, para isso, levou uma equipe de cinegrafistas uma escola de hula, conhecidas como Halau para registrar os passos.

Com a gravação concluída, toda a dança introdutória do filme foi modelada usando as sequências capturadas na escola. Relembre!

5. Fotografias?

Não é só de recursos animados que “Lilo & Stitch” sobrevive. O filme que utiliza live-action para a aparição rápida de um monstro, além de também usar as fotografias como um recurso, visto que os retratos de Elvis Presley vistas no longa-metragem, são de verdade, e não desenhadas.

Elvis Presley Lilo e Stitch
Fotografia de Elvis Presley  em "Lilo e Stitch" / Crédito: Divulgação/ Disney