Recreio
Facebook RecreioTwitter RecreioInstagram Recreio
Corpo Humano / Saúde

Volta às aulas: Qual o peso ideal da mochila de uma criança?

OMS estima que 70% dos problemas de coluna na fase adulta tem como causa o efeito cumulativo do excesso de peso carregado na infância e adolescência

Redação Publicado em 27/07/2022, às 11h32

Imagem ilustrativa - Getty Images
Imagem ilustrativa - Getty Images

Lição de casa, livros didáticos, estojo, cadernos, tudo isso dentro das mochilas e, quase sempre, nas costas das crianças. Neste início de ano letivo, uma dúvida frequente é sobre qual mochila é a ideal para os pequenos e qual o peso que eles podem carregar sem causar prejuízos, visto que a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 70% dos problemas de coluna na fase adulta tem como causa o efeito cumulativo do excesso de peso carregado na infância e adolescência. 

O fisioterapeuta Cadu Ramos aponta os riscos que correm as crianças ao carregar essas mochilas tão pesadas. Um dos problemas agravados pelo excesso de peso na mochila é a escoliose ─ quando a coluna apresenta uma curvatura em forma de "S" ─, a cifose e a lordose são outros problemas que, dependendo do grau de gravidade, podem demandar sessões de fisioterapia ou, em casos extremos, levar até a intervenções cirúrgicas. De acordo com o especialista, o peso das mochilas não deve ser superior a 10% do peso do indivíduo ─ isso significa que, se a criança pesa 50 quilos, a mochila não pode ter mais do que cinco.

O excesso de peso, além das complicações citadas, pode interferir também no crescimento das crianças e jovens, uma vez que elas tendem a se curvar para suportar o peso da mochila e, com isso, vão acostumando mal a coluna", destaca Cadu. “O peso sobre músculos, tendões, nervos e articulações pode causar dores e inflamações que, com o passar do tempo, tornam-se mais graves e desencadeiam outras doenças e problemas."

Segundo o fisioterapeuta, isso acontece porque na tentativa inconsciente de tentar equilibrar a carga, muitas crianças acabam se curvando ou pendendo o corpo para um dos lados e assim, desalinham totalmente a postura.

Pescoço, ombros, braços e costas são sempre os primeiros a serem afetados. “Os ombros sofrem os primeiros sinais do excesso de peso que sobrecarrega a musculatura e as articulações da região, causando processos inflamatórios e, em casos mais graves, até artrose, alerta o fisioterapeuta.

Além de respeitar os limites de peso recomendados, é importante distribuírem o peso das mochilas, utilizando sempre as duas alças aos ombros e ainda vale evitar carregar todo o material no dia a dia, deixando os que não serão utilizados na escola ou em casa.

"Uma alternativa saudável para as crianças e adolescentes seria utilizar as mochilas com puxadores de mão e rodinhas, para evitar que o sobrepeso das malas cause problemas nas costas, relembrando que os pais devem, nos casos das mochilas com puxadores, observar a altura da mala em relação ao filho. Porque a criança não deve se curvar para um lado enquanto tenta puxar a mochila", conclui.