Recreio
Corpo Humano / Respiração

Como funciona o sistema respiratório?

Ele é o responsável por garantir que o oxigênio necessário chegue às células do seu corpo e trabalha 24 horas por dia

Lucas Vasconcellos Publicado em 03/09/2021, às 10h00 - Atualizado às 10h56

Imagem ilustrativa do pulmão - Pixabay
Imagem ilustrativa do pulmão - Pixabay

A respiração começa no nariz. Assim que o ar é inalado, ele encontra pequenos pelos que servem para filtrar impurezas que possam estar ali. A mucosa da região também dá uma força e prende as sujeiras que conseguirem driblar os pelos.

Quando passa pela triagem do nariz, o ar segue para os demais órgãos do sistema respiratório, como faringe e laringe, ambas na região da garganta. Então, ele segue rumo à traqueia, onde também existem pelinhos para captar possíveis impurezas que passaram pela barreira inicial — elas saem do organismo em forma de tosse.

Vencida a etapa que se concentra na região da garganta, o ar inalado chega aos brônquios: órgãos localizados nos pulmões e que se dividem em pequenos e finos canais, chamados de bronquíolos. No final dos bronquíolos estão os alvéolos: bolsas com tubos de sangue — quando passa por essa região, o ar encontra o sangue.

O sangue que está nos alvéolos usa as células chamadas de glóbulos vermelhos para capturar o ar — os glóbulos vermelhos agem como um carro, levando ar por todo o organismo por meio das artérias. Nessa viagem, o ar atinge as células de todo o corpo — elas precisam do oxigênio para se manterem em funcionamento.

Nas células, o oxigênio e os açúcares são transformados em energia, gás carbônico e água – por meio de reações químicas. O gás carbônico é eliminado pelas células e deixa o organismo pelas veias, que levam o líquido vermelho de volta para os alvéolos, onde ocorre a troca gasosa (captação de oxigênio e eliminação de gás carbônico pelos pulmões). 

Respirar pela boca?

Apesar de isso acontecer com todo mundo de vez em quando, é melhor se policiar e evitar. A boca não tem os mesmos recursos que o nariz para filtrar o ar que inalamos. Aí, bactérias e vírus têm mais chances de invadir o corpo.

Consultoria: Fausto Nakandakari (Especialista em Otorrinolaringologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cervico Facial).