Recreio
Corpo Humano / Reações

O que acontece com o seu corpo dentro do avião?

Ao andar de avião, algumas alterações podem acontecer no seu organismo. Entenda melhor essa história!

Lucas Vasconcellos Publicado em 19/06/2020, às 10h00 - Atualizado às 16h50

Imagem ilustrativa de pessoas em um avião - Pixabay
Imagem ilustrativa de pessoas em um avião - Pixabay

Gases estranhos

A pressão atmosférica (exercida pelo ar que está ao nosso redor) é menor dentro dos aviões (em comparação com a superfície terrestre), onde é mantida a cerca de 30% (o mínimo tolerável pelo ser humano). Isso pode levar o ar que existe dentro do nosso corpo a se expandir, causando sensação de inchaço e desconforto abdominal. Mas fique tranquilo: não é perigoso. O que pode rolar é de a situação ficar ainda mais desconfortável se você sentir vontade de fazer xixi ou cocô e não usar o banheiro do avião.

Ouvido maluco

Talvez você já tenha passado por isso: sentir os ouvidos ficarem tampados durante um voo. Isso ocorre por causa da diferença entre a pressão interna do ouvido (que existe graças a uma estrutura chamada tuba auditiva) e a pressão atmosférica do ambiente (dentro do avião, ela é menor do que na superfície terrestre). A sensação passa quando a tuba auditiva se abre, igualando as pressões do ouvido e externa. Para agilizar esse processo, você pode abrir e fechar a boca, mastigar algo ou bocejar.

Gosto diferente

Por mais que você esteja acostumado a comer um tipo de alimento, o gosto dele pode mudar dentro de um avião. A culpa é da mudança de pressão atmosférica dentro da aeronave (em relação à pressão que sentimos em terra) e da baixa umidade, que atrapalham as papilas gustativas presentes na língua e no nariz – as papilas são responsáveis pelo reconhecimento de sabor.

Tudo inchado

Durante uma viagem, o longo tempo que passamos sentados ou com as pernas dobradas dificultam a circulação sanguínea. E isso faz com que os membros inferiores (pernas e pés) fiquem inchados. Para evitar o incômodo, quando fizer uma longa viagem (acima de 2 horas), caminhe pelo avião.

Pele esquisita

Apesar de refrescar o ambiente, o ar-condicionado das aeronaves se une à baixa umidade do ambiente (causada pela baixa pressão atmosférica dentro do avião), deixando o ar bem seco! Isso prejudica a epiderme (camada mais externa da pele), que é responsável pela troca de umidade com o ambiente. Então, surge a sensação de que a pele está rachando. Se isso estiver incomodando muito, peça para que seus pais passem um creme hidrante na sua pele.

Borboletas no estômago

Quando o avião está decolando ou pousando, muita gente sente aquele friozinho na barriga. Afinal, voar é um momento de estresse: a situação faz o corpo liberar adrenalina (hormônio que nos deixa preparados para momentos tensão e nos deixa eufóricos). No momento em que nos tranquilizamos, a adrenalina normaliza e a sensação vai embora.

Fundo do mar

Você já ouviu falar que não podemos mergulhar após um voo? Na verdade, só é bom evitar ficar submerso na água depois de uma viagem de avião se os seus ouvidos ainda estiverem tampados. Assim, você evita problemas mais sérios, como uma dor de ouvido ou o rompimento do tímpano (membrana que fica dentro do ouvido).


Consultoria: Fausto Nakandakari (otorrino do Hospital-Sírio Libanês/SP) e Lucas Zambon (clínico-geral do Hospital das Clínicas de São Paulo).