Recreio

Como o nosso corpo funciona enquanto estamos dormindo?

Muitas coisas acontecem enquanto estamos descansando. Descubra!

Lucas Vasconcellos Publicado em 07/05/2021, às 11h00 - Atualizado às 16h26

Imagem ilustrativa de uma criança dormindo - Pixabay
Imagem ilustrativa de uma criança dormindo - Pixabay

Os sonhos ou pesadelos surgem a partir de pensamentos que ocorrem durante o sono e, principalmente, na fase dos movimentos oculares rápidos (REM). Em boa parte das vezes, esses pensamentos são estranhos, pois fogem ao controle que temos quando estamos acordados. Se você tem muitos sonhos ruins, fique calmo: eles não tem significado importante do ponto de vista emocional e costumam diminuir conforme você fica mais velho.

Os sonhos ocorrem durante 20% do tempo total que dormimos. Mas só nos lembramos deles quando acordamos enquanto estamos tendo um.

Escapou!

Já sonhou que estava nadando e fez xixi na cama? Ou que estava voando e caiu do colchão? Muitas vezes, o cérebro confunde o que está acontecendo na realidade e incorpora essas sensações externas aos sonhos, criando situações fantasiosas.

Que susto!

Vez ou outra, quando estamos quase dormindo, temos a sensação de que vamos cair! Ela é normal e costuma vir acompanhada de abalos musculares (por isso sentimos repuxos nos braços e pernas), que ajudam a criar essa impressão de queda.

Perambulando por aí

Algumas pessoas saem do sono profundo e, ainda num estado de consciência um tanto confuso, caminham por alguns minutos ou falam frases sem perceber. São os sonâmbulos, algo comum entre as crianças — não há uma resposta exata, mas talvez seja mais comum por estar ligado ao desenvolvimento do sistema nervoso. Mesmo assim, parte da população pode ter, em algum momento da vida, um episódio de sonambulismo — e isso não traz qualquer problema!

Ronc, ronc

O ronco, aquele barulho que algumas pessoas fazem quando estão dormindo, acontece durante a passagem do ar pela parte de trás da garganta, chamada faringe. Ele é a vibração na parte mais flácida desse aparelho. Em algumas crianças, ele não significa nada, mas também pode ser consequência do estreitamento na passagem do ar — isso é chamado de apneia e precisa de tratamento médico.


Consultoria: Luciano Ribeiro (presidente da Associação Brasileira do Sono).